Covid-19 infecta mais 31 pessoas e mata uma em 24 horas

Nas últimas 24 horas foram confirmados mais 31 novos casos de Covid-19 e mais um óbito, elevando as cifras para 607 infectados e 28 mortes, informou, ontem, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, numa altura em que está confirmado o registo de casos de contaminação comunitária

Franco Mufinda, que falava durante a apresentação do balanço diário sobre a pandemia no país, no CIAM, em Luanda, esclareceu que os 31 novos casos positivos registados no período em referência são da província de Luanda, com idades compreendidas entre os 22 e os 63 anos, sendo 22 do sexo masculino e nove do feminino.

Quanto a localidades mais afectadas pelo vírus, continuam a ser Maianga, Kilamba Kiaxi, Belas e Viana.

Em consequência desta doença, um cidadão angolano de 58 anos de idade, infectado e com várias co-morbilidades descompensadas, morreu ontem no Hospital Militar.

Por outro lado, o governante recordou a situação comunitária do vírus em Luanda. Por esta razão, apelou à calma e à responsabilidade de cada um contra este inimigo invisível e mortal, uma vez que a luta contra a Covid-19 é de todos.

“Não queremos ter dor e luto no nosso seio. Neste contexto, não devemos baixar a guarda, cumprindo assim as medidas que estão plasmadas no decreto sobre a calamidade pública com o fito de cortar a cadeia de transmissão”, advertiu.

Por esta razão, Franco Mufinda sublinha o uso obrigatório da máscara, cobrindo a boca e o nariz, para evitar a contaminação das pessoas, bem como a lavagem das mãos com água e sabão ou até desinfectar com álcool e a observância do distanciamento físico entre as pessoas como as medidas necessárias para se evitar a transmissão desta doença.

Angola com 607 infectados e 28 óbitos

A estatística indica a existência de 607 casos infectados, dos quais 28 mortos, 124 recuperados e 455 activos. Há ainda seis que requerem cuidados especiais, ao passo que os restantes estão clinicamente estáveis.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) registou, nas últimas 24 horas, 105 chamadas, das quais duas denúncias de casos suspeitos de Covid-19 e 103 pedidos de informação sobre o vírus.

Nas últimas 24 horas foram processadas 1.138 amostras no laboratório da biologia molecular, das quais 31 foram positivas e 1.107 negativas.

No total de amostras recebidas, Franco Mufinda fez saber que foram processadas até à presente data 43.997 amostras, das quais 607 foram positivas, 38.776 negativas e o resto encontra-se em processamento.

Quatro pessoas em cada 100 angolanos ficaram expostas ao SARS-CoV-2

Por outro lado, Franco Mufinda esclareceu que 559 pessoas observam quarentena institucional em todo o país e que, nas últimas 24 horas, 62 pessoas receberam alta, sendo 33 na província do Cuanza- Norte, 14 no Cunene, cinco no Bié, quatro na Lunda Norte, três no Cuando Cubango e Huíla, respectivamente.

Franco Mufinda contou ainda que na sequência da realização dos testes serológicos ou testes rápidos da Abbot, há um somatório de 16.869 testes realizados.

“Deste número, temos 709 reactivos activos, isto representa que quatro pessoas em cada 100 provavelmente ficaram expostas ao SARSCoV- 2. Ou seja, pelo menos quatro pessoas em cada 100 ficaram ou cruzaram com este vírus que causa a Covid-19”, disse.

No entanto, explicou que deste número de quatro pelo menos três pessoas já teriam tido a imunidade ou a defesa e uma pessoa na base de 100 teria “a tal presunção” de um provável caso positivo. “Para isso acontecer, temos que passar para a segunda prova, que é a realização do exame de RT-PCR, na base da biológica molecular”, contou.

“Voos humanitários trouxeram 270 angolanos provenientes do Brasil”

A revelação é do secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda. Disse que ainda na continuidade dos voos humanitários, chegaram ontem, ao país, 270, cidadãos angolanos provenientes do Brasil, dentre os quais 27 são crianças.

Franco Mufinda aproveitou a ocasião para informar, em nome da Comissão Multissetorial, que os voos humanitários para Portugal começam na próxima Terça-feira, 21 do corrente mês.

“É do vosso conhecimento que Portugal acaba por ter um número maior de angolanos, então, teremos uma sequência de voos humanitários para a próxima Terça-feira”, revelou.

De recordar que o novo Coronavírus (SARS-CoV-2), responsável pela pandemia da Covid-19, surgiu na China em Dezembro de 2019. O surto espalhou-se pelo mundo e já vitimou centenas de milhares de pessoas, tendo levado a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia global.

error: Content is protected !!