Recondução de Tomás Faria com novos desafios

A recondução de Tomás Faria à presidência do Petro de Luanda acontece no próximo Sábado, na sede do clube, a partir das 10:00. 

Para o ciclo olímpico (2020/2024), o dirigente desportivo tem pela frente novos desafios, tendo em vista que hoje o desporto é uma indústria. 

Colocar o Petro de Luanda entre os cinco melhores do continente é uma das prioridades do responsável que já vai no terceiro mandato. 

Por esta razão, acredita que os princípios de gestão desportiva devem ser aplicados sem rodeios para se atingir os objectivos que se pretende. 

No futebol, Tomás Faria adiantou que o seu clube está neste momento entre os vinte, porém, tudo fará para inverter o quadro. 

Nas outras modalidades, o objectivo é o mesmo, continuar a vencer, aliás o andebol é uma modalidade que continua a dar cartas no continente. 

Internamente, o Petro de Luanda disputa os nacionais e africanos de clubes com o 1 de Agosto, rival de longa data há mais de uma década. 

O basquetebol também mantém os mesmos níveis competitivos, sendo que vendo é o campeão nacional, apesar da COVID-19 já prepara a Ball League. 

Dívida com os adeptos 

Tomás Faria tem uma dívida pesada com os adeptos do Petro de Luanda, isto é, não ganha o Girabola, Campeonato Nacional de futebol, há dez anos. 

Apesar dos projectos que apresenta, os adeptos não o engolem, por isso conquistar o título em 2020/2021 deve ser a sua prioridade. 

Posto isto, mais do que pensar em ser um dos melhores do continente, Tomás Faria deve criar condições para devolver a alegria aos adeptos. 

Com a anulação do Girabola devido à COVID-19, prova que era liderada pelo seu clube, os adeptos continuam com a espinha encravada. 

error: Content is protected !!