Uma promessa que se revelou em concerto de “gigante”

O guitarrista Mário Gomes foi a grata surpresa para muitos que tenham acompanhado a Live da última edição do Show do Mês, protagonizada por Carlitos Vieira Dias. Na ocasião interpretou ao som do seu violão dois temas, de Marito dos Kiezos e de Botto Trindade, respectivamente. Conheça a história deste jovem músico cujo cordão umbilical está "enterrado" no município do Cazenga, em Luanda.

No meio de um “gigante” do Semba (Carlitos Vieira Dias), o país conheceu uma nova promessa da música instrumental. Mário Gomes é o seu nome, à quem coube a honra de homenagear no dedilhar do seu violão, os exímios guitarristas Marito dos Kiezos e Botto Trindade, para o gáudio de muitos espectadores que assistiam a mais uma produção artística da Nova Energia.
Contactado por este jornal, Mário Gomes contou-nos que os primeiros passos para o mergulho nesta disciplina artística (música), começara no município do Cazenga em Luanda, onde tem enterrado o seu cordão umbilical, de forma muito natural pela forma como brincava com recipientes de água simulando instrumentos percussivos, com apenas 8 anos de idade.
Todavia, o primeiro contacto com uma guitarra lembra-se que tenha ocorrido aos 10 anos de idade com o seu primeiro e único professor na altura o Artur João Mbimbi, seu tio. Depois do aprendizado básico com o “magíster”, os restantes passos foram sob sua conta e risco, pois até ao momento não passou por nenhuma escola de música.

Influências

Questiona-lhe por isso, quem foram as suas influências musicais para atingir os níveis que alcançou. Mário referiu que a época a sua preponderância deriva, uma vez não não tinha acesso à internet na altura, eram os seus irmãos da igreja Tocoista, designadamente Yarks Spin, Pascoal Manguidi e Sankara. Já com acesso a internet, as principais influências foram as do beninense Leonel Loueke e do norte-amercano, John Scofield.

Inspiração

Modesto e sempre com bastante humildade, durante a conversa com OPAÍS, pois não tendo passado por nenhuma escola formal, a questão que surge é de onde sai a inspiração para executar de forma tão “perfeita” o seu violão. Eis que aparece a resposta: “A minha inspiração vem do Criador (Deus).

E mais acrescentou: “Acredito no poder espiritual que a música tem sobre nós, por ter nascido no meu país Angola e ter crescido e ouvido nossa música desde o berço por conta dos convívios familiares em casa de minha mãe, acabei acarretando a linguagem. Hoje acabo reproduzindo tudo aquilo que sempre recebi daquele berço”.

Aprendizado

A interpretação dos temas “Muxima” e “Benguela Libertada”, de Marito dos Kiezos e Botto Trindade, respectivamente, no palco do Show do Mês a meio de um concerto de um “gigante” da música angolana, foi para Mário Gomes gratificante e acima de tudo um aprendizado.

“O sentimento é de aprendizado porque mais do que estar no mesmo palco com alguém que é um ícone da nossa música, é a sensação de poder beber de sua vasta experiência e poder em formas de música dizer a ele obrigado por tudo que fez pela música do meu país”, manifestou.

Execução

Apesar do “frio na barriga” a execução dos temas naquela tarde de Sábado sob o olhar atento dos angolanos, não foi díficil segundo Mário Gomes, pois tem a oportunidade de conviver com o mestre Trindade nos últimos tempos e trata-se de uma música que já conhecia a música. “Tive que ter muita atenção e claro muito respeito ao interpretá-las, porque afinal de contas tratava-se de dois gigantes da música do meu país”, confessou.

Em relação a música angolana, Mário Guerra considera-a bastante rica principalmente no que toca a sua rítmica desde a Massemba à Tchianda, do Semba à Kilapanga, sendo por isso, um povo abençoado.

Desafios

Continuar a dar o seu melhor em prol ao desenvolvimento e divulgação da música angolana, constituem as principais ambições de Mário Gomes, no que toca ao seu contributo para que cada vez mais essa arte que fez dela a sua profissão seja elevada ao mais alto nível .

“Tenho os meus princípios muito ligados ao temor a Deus, pretendo fazer carreira musical, e entrego tudo em suas mãos (Deus) para um melhor direcionamento da minha vida”, augurou.

Projecto

Nesta altura o seu maior desejo é a gravação do meu álbum instrumental, mas por conta da pandemia que assola o mundo e Angola não é excepção, teve de adiar o início das gravações, mas garante tão logo haja possibilidades para o efeito, retoma o pendente e dará a ouvir música angolana instrumental.
“Meu maior objectivo ou desejo com a música é através dela, poder transmitir esperança e de alguma forma contribuir de forma intelectual as pessoas, com mensagens positivas”, finalizou.

Perfil

De nome próprio Armando Mário Gomes é caçula de três irmãos filhos de Mário Miguel Xavier e de Fátima Gomes Museque. Nasceu no bairro do Cazenga, município com o mesmo nome em Luanda a ‪26 de Novembro‬. 

Quanto às suas preferências musicais considero-as universais, pois aprecia tudo que soa-lhe bem e acabo colocando na sua lista de gostos e influências musicais. 

Não existe um gênero ou estilo que chegue a gostar mais do que de outro, por acreditar que em tudo pode-se proveito. 

O Pais

Deve ver notícias

error: Content is protected !!