Lazare Adingono deixa o Petro de Luanda

O presidente cessante do Petro de Luanda, Tomás Faria, disse ontem à Rádio Cinco que o treinador camaronês Lazare Adingono não chegou a acordo com a direcção do clube do Eixo-Viário

Tomás Faria explicou que a direcção queria um contrato de um ano, mas o treinador só queria dois ou mais anos de contrato. Assim, o Petro foi peremptório na sua posição e preferiu optar por contrato de trabalho de um ano com opção de renovação.

O também candidato único às eleições amanhã naquele clube, revelou que “não importa a tripulação que vai levar o barco ou que que vai levar o avião, o mais importante é que o meio chegue ao destino no dia, hora marcada e com os passageiros completos”.

Tomás Faria acrescentou dizendo que para o clube interessa o tempo curto de contrato, porque aumenta no desempenho do treinador ou do atleta. “Quando são dois anos o primeiro ano é de relaxe e o segundo é para trabalhar e renovar o contrato”, disse.

error: Content is protected !!