Reestruturação das infraestruturas de Mbanza Kongo abordado entre MCTA e UNESCO

Com vista a potencialização e atracção de visitas à província do Zaire, cuja capital é a cidade de Mbanza Kongo, Património Cultural da Humanidade, está em curso um plano de reestruturação das infraestruturas daquela urbe secular

A reestruturação de infraestruturas de Mbanza Kongo, a candidatura do Cuito Cuanavale a Património da Humanidade, entre outros assuntos, dominaram o encontro entre a ministra da Cultura Turismo e Ambiente, Adjany Costa, e a embaixadora de Angola junto da UNESCO, Ana Maria de Oliveira, ocorrido esta semana, em Luanda.

A governante destacou, igualmente, o trabalho que está a ser feito sobre a reestruturação de infra-estruturas de Mbanza Kongo, de acordo com as orientações da UNESCO, com vista a potencialização e atracção de visitas à província.

O tema em torno da candidatura do Cuito Cuanavale a Património da Humanidade, também foi abordado durante o encontro. A embaixadora foi esclarecida que os trabalhos estão em andamento.

Em linhas gerais, de acordo com uma nota do Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente (MTCA), a que o OPAÍS teve acesso, fez-se uma abordagem em torno das Convenções Ractificadas e dos projectos já em curso, tais como: Património Cultural e Natural, e a realização da 2ª Edição da Bienal de Luanda-2021.

Por sua vez, a embaixadora junto da UNESCO predispôs-se a colaborar com o sector e garantiu todo o apoio institucional necessário na execução dos diferentes projectos da Cultura, Turismo e Ambiente. Reafirma igualmente o compromisso com os principais desígnios junto da UNESCO.

Trabalho anterior

A agenda de trabalho da mais recente reunião ordinária da Comissão Nacional Multissectorial para a Salvaguarda do Património Cultural Mundial, realizada no passado dia 25 de Junho sob orientação do Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, foi precisamente dominada por discussões à volta das recomendações da UNESCO sobre Mbanza Kongo, e o processo de candidatura do Cuito Cuanavale a Património da Humanidade.

Na reunião, a comissão recomendou a adopção de medidas para tornar mais célere o cumprimento dos compromissos assumidos por Angola aquando da inscrição de Mbanza Kongo na Lista do Património Mundial da UNESCO.

E sobre o Cuito Cuanavale, recomendou ajustes ao programa de candidatura devido à necessidade de racionalização dos recursos, mas sem perder o foco nos objectivos institucionais do Estado angolano nesta matéria.

A Comissão Nacional Multissectorial para a Salvaguarda do Património Cultural Mundial foi criada pelo Presidente da República, João Lourenço, ao abrigo do Despacho Presidencial 25/18 de 5 de Março, com o objectivo de promover a implementação de programas de conservação e a gestão participativa do património cultural.

Coordenada pelo Vice-Presidente da República, coadjuvado pela ministra da Cultura, à comissão compete, entre outras atribuições, propor bens passíveis de elevação a Património Mundial da Humanidade e acompanhar o processo de candidatura e inscrição.

Património Cultural

O centro histórico de Mbanza Kongo, na província do Zaire, está classificado como património cultural nacional desde 10 de Junho de 2013. Entretanto, a 8 de Julho de 2017, na 41ª sessão da Comissão de Património Mundial da Organização da ONU para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), em Cracóvia, Polónia, foi declarada Património Cultural da Humanidade.

error: Content is protected !!