TAAG estima perdas de USD 280 milhões este ano

A companhia aérea angolana TAAG estima, para este ano, perdas no valor de USD 280 milhões norte-americanos, informou ontem (Sexta-feira), em Luanda, o presidente da Comissão Executiva (PCE) da referida empresa, Rui Carreira

Ao falar no final de um encontro com a presidente do Tribunal de Contas, Exagilna Gambôa, para troca de informações entre o TC e a TAAG, Rui Carreira disse que estimam registar essas perdas, porque as operações de transporte de passageiros continuam suspensas.

A redução de vôos em 65 porcento, comparativamente à grelha de viagens anterior ao início da propagação da Covid-19, obrigou a redução das frequências semanais (sem precisar as mesmas), para todos os destinos da companhia, bem como a suspensão de algumas rotas, principalmente aquelas que eram mais deficitárias.

Referiu que a realidade da TAAG não é diferente do resto das companhias mundiais, com perdas que já ultrapassam largas dezenas de biliões de dólares.

A preocupação neste momento, prosseguiu o gestor, é reduzir de forma drástica os custos operacionais e equilibrar ao máximo possível financeiramente a empresa, sem significar obrigatoriamente o desemprego, porque estão a fazer de tudo para que isto não aconteça.

O encontro com o Tribunal de Contas realizou-se na sequência da aquisição pela TAAG das novas aeronaves do tipo Dash 8-400.

Na reunião, o Tribunal procurou compreender as modalidades que a empresa aérea utilizou para aquisição das novas aeronaves.

Sobre esse assunto, Rui Carreira anunciou que a segunda aeronave do tipo Dash 8-400 deverá chegar entre a primeira ou segunda semana de Agosto e as restantes para o final do ano, pelo facto do mundo estar muito condicionado às restrições impostas pela Covid-19.

Por sua vez, o director dos serviços técnicos do TC, José Miguel, explicou que a instituição judicial que cuida das contas do país emitiu um visto global para aquisição de todas as aeronaves, por ser pedido único.

Disse que no referido processo de aquisição, o TC não constatou qualquer irregularidade, porque os técnicos do TC e da TAAG foram superando as insuficiências constantes do processo, inicialmente, daí ter já chegado a primeira aeronave em finais de Junho último.

O director explicou estarem num mercado em que a estabilidade económica não existe, mas se houver uma alteração do preço a TAAG deve submeter uma adenda ao TC, desde que o valor não seja superior a 15 porcento do inicial.

A primeira das seis aeronaves do tipo Dash 8-400 adquiridas pelo Executivo Angolano à fabricante canadiana De Havilland of Canada Limited, no âmbito da modernização e reestruturação da TAAG-Linhas Aéreas de Angola, chegou ao país em Junho último.

A aeronave Dash 8-400, a mais moderna na sua tipologia, é de fácil desdobramento em manobras. Com baixos níveis de poluição e de consumo de combustível, tem uma autonomia de vôo de cerca de 6 horas, voando até 2 mil e quinhentos metros de altitude, à velocidade máxima de 700 quilómetros/hora.

error: Content is protected !!