Candidatas à liderança da LIMA reiniciam campanha no dia 22

Depois da interrupção das actividades devido às restrições da Covid-19, a Comissão Organizadora do IV Congresso Ordinário da LIMA reiniciou os trabalhos no dia 9 do corrente mês e prevê a reabertura das campanhas no dia 22

A porta-voz da Liga da Mulher Angolana (LIMA), Albertina Ngolo, disse, ontem, a OPAÍS, que o IV Congresso Ordinário da LIMA vai decorrer nos dias 7 e 8 de Agosto do ano em curso, na “modalidade regiões” (Norte, Leste, Centro Sul, Sul, Litoral Norte e Sul), incorporando a solução tecnológica de videoconferência. 

A porta-voz disse que já foram realizadas as conferências municipais e algumas provinciais antes do período de emergência e que as dezoito províncias já fecharam o ciclo de conferências, em que foram debatidas as teses do Congresso e o programa da LIMA para os próximos quatro anos. 

Concorrem ao cadeirão máximo da organização feminina da UNITA três candidatas, nomeadamente Helena Bonguela Abel, Domingas Njungulu e Manuela dos Prazeres. 

A porta-voz garantiu que o Conclave será realizado respeitando todas as disposições legais impostas pela pandemia. 

Dinamizar a participação da mulher na vida política 

Helena Bonguela (actual presidente da LIMA) disse que ser for reeleita vai trabalhar para uma maior participação da mulher nos órgãos de decisão. 

A concorrente referiu que a presença da mulher nos órgãos de decisão no país ainda não é satisfatória e avançou que a organização pensa em trabalhar mais na lógica de interacção entre gerações. 

“Queremos trazer para a dinâmica política muita mulher jovem. Queremos ainda dar maior atenção às crianças”, disse. 

Sublinhou que as suas acções estarão ainda viradas para a formação acadêmica da mulher, incentivá- las a participar mais e a atingirem o maior grau acadêmico. 

Acções mais inclusivas  

Domingas Njungulu defende, por seu turno, que a mobilização não deve ser só ao nível da mulher da LIMA, mas sim extensiva. 

A concorrente afirmou que, se for eleita, vai trazer para a organização maior dinamismo, união e mobilização. 

“Sinto-me preparada para trabalhar e servir a mulher de uma forma geral, porque o propósito pelo qual o Dr. Savimbi criou a organização da mulher na LIMA não é só para servir na LIMA mas sim para ser um órgão extensivo”, disse, Domingas Njungulu. 

Para as questões sociais, a candidata disse que vai trabalhar no combate à violência doméstica, à pobreza e a discriminação. Disse que vai ainda olhar para a situação das crianças fora do sistema de ensino e sem registo. Apelou às mulheres a se organizarem e a trabalhar como mulheres de Angola e não do partido A ou B. 

O Congresso da LIMA é realizado de quatro em quatro anos. A LIMA completou 48 anos de existência no dia 18 de Junho. 

 

error: Content is protected !!