Mário Pinto defende maior colaboração entre MPLA e Governo na resolução dos problemas sociais

O coordenador do Grupo de Acompanhamento do Bureau Político do MPLA à província do Huambo, Mário Pinto de Andrade, defendeu, ontem, Sábado, a necessidade de um trabalho conjunto entre o partido e o Governo para a elevação do bem-estar das famílias. O político fez estas declarações quando intervinha, por vídeo-conferência a partir de Luanda (capital do país), na IX Conferência Provincial Extraordinária do partido no poder em Angola, para a eleição da nova 1ª secretária do MPLA no planalto central, em substituição de Joana Lina, por incompatibilidades de funções

Segundo Mário Pinto de Andrade, é importante que todos estejam engajados a ajudar na materialização, até 2022, das acções do partido e do Governo, tendo em vista a melhoria da qualidade de vida das famílias e os próximos desafios que se avizinham.

Disse que entre as acções de grande relevo do partido para os próximos tempos constam a realização, em Março de 2021, do Congresso da Organização da Mulher Angolana (OMA), em Dezembro do mesmo ano, do Congresso do MPLA e, em 2022, as eleições gerais no país.

O dirigente político-partidário referiu que, na província do Huambo, deve-se trabalhar, de forma conjunta, na execução dos programas Kwenda, voltado ao apoio às famílias vulneráveis, de combate à pobreza, de alfabetização e aceleração escolar e de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (Prodesi).

De igual modo, disse ser fundamental que se trabalhe também com todos na materialização dos programas de combate à corrupção, de fomento da agricultura familiar, da reforma da Justiça, da revitalização das comissões de moradores e do plano de contingência à Covid-19.

Mário Pinto de Andrade, apesar de discursar em vídeo-conferência, interrompeu a sua intervenção para pedir salvas de palmas à 1.ª secretária cessante, Joana Lina, pelo trabalho político e social realizado, com realce para a união do partido, acrescentando que todos os militantes devem unir-se em torno da nova 1.ª secretária provincial e, ao mesmo tempo, governadora do Huambo.“Esperamos que os resultados da eleição da camarada Lotti Nolika, para 1.ª secretária do MPLA no Huambo, resultem na unidade de acção e de pensamento, de modo a tornar o partido nesta região do país mais forte rumo à vitória”, rematou.

Sob o lema “MPLA e os desafios do Futuro”, participaram no evento 546 delegados, dos 793 previstos, repartidos em três salas interligadas por vídeo-conferência, no quadro das medidas de prevenção e combate à gripe por Coronavírus (Covid-19).

Nas últimas eleições de 23 de Agosto de 2017, O MPLA venceu, nesta região, com 347 mil e 763 votos, elegendo três deputados dos cinco determinados por cada círculo eleitoral, designadamente João Baptista Kussumua, Armando Capunda e Bibiana Nandombwa.

error: Content is protected !!