Angola pode perder sede africana 

A sede do Comité Paralímpico Africano (APC- sigla em inglês), situada provisoriamente na Galeria dos Desportos, em Luanda, pode ser transferida, ainda este ano, para a África do Sul ou Tunísia. Segundo o presidente da instituição, o angolano Leonel da Rocha Pinto, não tendo ainda um local definido para o seu funcionamento, anos depois de o país ter assumido este compromisso, é eminente a sua transferência. 

O responsável adiantou que o último andar da Galeria do Desporto estava destinado a albergar a sede do APC, inclusive foi colocado um elevador não previsto devido a condição especial dos deficientes. 

No entanto, Leonel Pinto afirmou ter sido surpreendido com uma comunicação do Ministério da Juventude e Desportos dando conta da indisponibilidade do espaço, lamentavelmente. 

Numa entrevista em que abordou as etapas de desenvolvimento do desporto adaptado até à afirmação dentro e fora do continente, o também presidente do Comité Paralímpico Angolano diz-se triste porque o reconhecimento geralmente vem de fora. 

Quanto a continuidade na liderança do CPA, disse estar em fase de ponderação, fundamentalmente devido à família que reclama maior presença, acrescentando que a sua preocupação é deixar um legado. 

Nesta perspectiva, destacou o Centro de Treinamento cujo pedido para um terreno foi entregue há mais de uma década ao Governo da província de Luanda com o conhecimento do Ministério de tutela. 

Explicou que o MJD apresentou um espaço na zona do Zango, em Viana, mas que após contactos com patrocinadores o órgão reitor recuo na decisão e sugeriu um outro nos Ramiros, distante das comunidades e numa área acidentada e de difícil acesso. 

Leonel da Rocha Pinto é, também, membro do Comité Executivo do Comité Paralímpico Internacional. 

error: Content is protected !!