“Há mais de 100 pontos públicos de acesso à Internet Angola Online”

São mais de 30 mil acessos aos serviços de Internet registados nos 111 pontos públicos com acesso à internet instalados no país, no âmbito do projecto “Angola Online”, revelou, ontem, em Luanda, pelo ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, durante uma visita ao Instituto Nacional de Fomento da Sociedade de Informação (INFOSI)

Manuel Homem garantiu que está assegurado que o processo de massificação e inclusão digital para que existam outros programas como o “Andando com as tics” que permitem levar acessibilidade tecnológica às zonas onde ainda há dificuldades. “A Internet deve continuar a ser um activo que devemos promover a sua acessibilidade em todas as camadas da nossa sociedade”, disse.

O governante explicou que este trabalho está a ser conseguido por via da massificação e inclusão digital, através dos investimentos em infraestruturas de comunicações que se têm vindo a realizar nos últimos anos, quer por via dos cabos submarinos, quer por infraestruturas por satélite que o país tem estado a promover.

“Logicamente, a necessidade às vezes é imediata, mas é um trabalho contínuo e penso que com os programas em curso vamos conseguir atingir as metas que nos propusemos para a massificação e a inclusão digital”, garantiu.

 Nesta fase da Covid-19, disse que a plataforma de videoconferência do Governo permite que os departamentos ministeriais, apesar de existirem outras, disponham de uma ferramenta, propriedade do Executivo, para realizar reuniões e garantir o normal funcionamento da administração do Estado.

Manuel Homem disse que a infraestrutura central dos correios eletrónicos institucionais e as ferramentas de gestão documental têm as condições criadas para assegurar que os serviços públicos continuem a funcionar de forma normal.

 Cerca de 600 empresas constituídas via electrónica em época de Covid-19

 O ministro anunciou que foram constituídas cerca de 600 empresas nesse período da Covid-19, por via electrónica.

 “Exemplo, temos os manuais escolares que estão disponíveis e mais de 30 mil download foram conseguidos e a possibilidade da constituição de empresa online. Todo o processo é feito online”, revelou.

Entretanto, disse que se tem de continuar a imprimir esforços no sentido de garantir que mais serviços possam surgir no ambiente digital para se garantir que os cidadãos, a partir de casa, durante a época da Covid-19, possam continuar a realizar as suas actividades junto da administração pública de forma mais célere e segura.

“O nosso sector da comunicação tem desempenhado um papel estratégico no apoio ao ensino. Nós temos as tele-aulas, que acontecem na Televisão Pública de Angola, e as rádio-aulas que passam na Rádio Nacional de Angola”, frisou.

SEPE com mais de 50 mil manuais baixados

Por outro lado, garantiu que vão continuar a trabalhar e estão a fazer esse trabalho com o Ministério da Educação, de continuar a melhorar esse serviço, para garantir que as crianças não percam o hábito de ter acesso ao conhecimento e ao ensino.

 Os Serviços Electrónicos Públicos (SEPE) têm mais de 50 mil manuais baixados gratuitos das classes de iniciação à 5ª classe, durante a sua existência, desde 2018, e mais de 33 milhões de transações.

Manuel Homem destacou a qualidade a infra-estrutura tecnológica e dos quadros nacionais, bastante jovens, que garantem o normal funcionamento do INFOSI. A visita foi acompanhada pelos secretários de Estado da Comunicação Social, Nuno Caldas Albino, e das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, Mário Augusto da Silva Oliveira, entre outros responsáveis do sector.

error: Content is protected !!