Morte de Patrice Lumumba na RDC: família pede os seus restos mortais ao rei dos belgas

A filha do herói nacional congolês Patrice Lumumba enviou uma carta ao rei dos belgas em 30 de Junho de 2020, e ela a divulgou neste feriado nacional na Bélgica.

Ela pede que os poucos restos mortais do seu pai, cujo corpo nunca foi encontrado, sejam devolvidos a ela.

Patrice Lumumba foi o primeiro primeiro-ministro do país em 1960, antes de ser assassinado alguns meses depois, em Janeiro de 1961, sem que o seu corpo fosse encontrado, havendo, no entanto, uma única pista: um documento filmado no qual aquele que faria o corpo desaparecer, o belga Gerard Soete, mostra os dentes que deveriam ser os de Patrice Lumumba.

Nesta Terça-feira, 21 de Julho de 2020, feriado nacional na Bélgica, a antiga potência colonial, Juliana, filha de Patrice Lumumba, deixou claro que ela pediu, por carta ao rei dos belgas, que esses restos fossem devolvidos a ela. “Nesta carta, peço que os restos mortais que estão na Bélgica sejam devolvidos a nós, para que possamos finalmente enterrar o nosso pai com dignidade.

Os seus restos mortais estão sequestrados no Tribunal da Bélgica. É com certeza que sabemos que está sob sigilo no tribunal, porque houve o indivíduo famoso, que apareceu na televisão, dizendo que mantinha dois dentes de Lumumba. Foi porque ele o torturou. Encontramos isso e foi tirado e selado.

 É por isso que, quando descobrimos, acredito que é o fim de um processo, de uma esperança. Porque houve abordagens diferentes, mas elas não resultaram em muita coisa. Para a minha família, portanto, os meus irmãos e eu, é nosso dever, enquanto filhos, enterrar o nosso pai. O meu pai e os seus companheiros morreram por este país.

Eles derramaram o seu sangue neste país. Os seus restos mortais devem voltar para casa – explica Juliana, longamente.

O Pais

Deve ver notícias

error: Content is protected !!