Projecções de Covid-19 no país apontam para aumento nos próximos meses

O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, revelou, ontem, em Luanda, que a tendência das projecções dos números no nosso país no que toca à Covid-19 aponta para um aumento de casos nos próximos meses. Por outro lado, mais 30 novos casos de pessoas infectadas com a Covid-19 e um óbito foram confirmados nas últimas 24 horas

O governante, que falava na habitual actualização diária sobre a pandemia no país, no CIAM, em Luanda, esclareceu que há tendência, nas projecções, de um aumento de casos de Covid-19 nos próximos meses, o que poderá ocorrer se a população continuar a não observar as boas atitudes que são apregoadas todos os dias.

Recordou que essas atitudes passam pelo uso correcto das máscaras, a lavagem das mãos, o evitar aglomerações, a não permanência por longo tempo em mercados, paragens de táxis, restaurantes ou sítios que possam propiciar maior exposição ao vírus SARS-CoV-2. “Se observarmos essas medidas no bom sentido, poderemos observar o achatamento da curva. Teremos a redução de casos.

O contrário poderá levar-nos ao aumento de casos e até ao limite do nosso sistema de saúde que de per si lida com a gestão de outras endemias, a malária, a tuberculose, o VIH-SIDA e o crescimento a cada dia que passa de doenças crónicas não transmissíveis, então, devemos evitar isso”, alertou.

Por outro lado, Franco Mufinda informou que nas últimas 24 horas foram confirmados mais 30 novos casos de Covid-19 e um óbito, perfazendo, assim, um total cumulativo de 779 infectados, dos quais 221 recuperados e 30 óbitos.

O governante fez saber que em termos de distribuição geográfica de casos, os 30 infectados são todos da província de Luanda, dos municípios da Maianga, Talatona, Rangel, Kilamba Kiaxi, Ingombota, Belas, Samba, Cacuaco e Cazenga.

Com idades compreendidas entre os 14 e os 93 anos. Mais um óbito por Covid-19 antes dos 60 anos No que tange ao género, disse que 24 são do sexo masculino e seis do feminino. “Por outro lado, informamos que um caso que estava a ser seguido no Hospital Miliar Principal foi ainda hoje (ontem) a óbito, o mesmo é angolano de 57 anos de idade”, disse.

 Entretanto, contou que dos 528 casos activos, 14 estão em estado crítico com ventilação mecânica, dos quais três necessitam de hemodiálise e os restantes estão clinicamente estáveis. “Estimados, face ao crescimento de novos casos a cada dia que passa, apelamos uma vez mais à responsabilidade de todos os elementos que compõem a família. Responsabilidade essa que olha, sobretudo, o evitar de atitudes de risco.

 O mau uso da máscara, a não desinfecção e lavagem das mãos, a frequência de aglomerações de forma desnecessária e a violação das cercas sanitárias”, apelou. No capítulo da biologia molecular, o laboratório, nas últimas 24 horas, processou 2.721 amostras, das quais 30 foram positivas.

O total de amostras processadas em todo o país até à presente data é de 51.191 amostras, das quais 779 foram positivas.

2.476 testes rápidos serológicos, dos quais 204 reactivos nas últimas 24 horas

Já nos testes rápidos, nas últimas 24 horas foram realizados 2.476 testes rápidos serológicos, dos quais 204 resultaram reactivos, o que significa que 8.2 em cada 100 pessoas rastreadas estiveram expostas ao SARS-CoV-2.

Acrescentou que já realizaram, no total, 25.097 testes rápidos serológicos, em que 1.248 foram reactivos. O que significa que 4.9 em cada 100 pessoas rastreadas estiveram expostas ao SARS-CoV-2.

 Franco Mufinda esclareceu que 922 pessoas observam quarentena institucional em todo o país e, nas últimas 24 horas, atribuiu-se alta a 56 pessoas, sendo duas na província de Luanda, 33 em Cabinda, seis no Cuando Cubango e Cunene, quatro no Bié, e Cuanza-Norte e Zaire com uma.

Neste momento existem 1.573 casos suspeitos investigados, enquanto os contactos sob vigilância somam 3.832 pessoas. O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu, nas últimas 24 horas, 98 chamadas, das quais uma denúncia de caso suspeito de Covid-19 e 97 pedidos de informação sobre o vírus.

Entre as actividades realizadas por províncias, Benguela, Bié, Cabinda, Cunene e Uíge reportaram actividades atinentes ao rastreio com base na testagem rápida, por um lado, e respectivos envios de amostras para Luanda, a desinfecção de estabelecimentos públicos e privados, bem como a capacitação de profissionais de saúde no capítulo da biossegurança e vigilância epidemiológica.

De recordar que o novo Coronavírus (SARS-CoV-2), responsável pela pandemia da Covid-19, surgiu na China em Dezembro de 2019. O surto espalhou-se pelo mundo e vitimou centenas de milhares de pessoas, tendo levado a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia global.

error: Content is protected !!