Quatro chefes de Estado da CEDEAO esperados em Bamak

Quatro chefes de Estado da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) são esperados em Bamako, Quintafeira, no quadro da resolução da crise sócio-política prevalecente no Mali, soube a PANA, nesta Terça-feira, de fonte segura. São os presidentes ivoiriense Alassanne Dramane Ouattara, ganense Nana Akufo-Addo, nigerino Mahamadou Issoufou, sendo este último também actual presidente em exercício da CEDEAO, e o senegalês Macky Sall.

 Depois do fracasso duma missão da CEDEAO (de 15 a 19 de Julho corrente), que não conseguiu um acordo com o Movimento de 5 de Junho (Coligação da Forças Patrióticas (M5-RFP), os chefes de Estado vão tentar, mais uma vez, encontrar um acordo entre o Presidente da República, Ibrahim Boubacar Keita, e os seus opositores unidos dentro da M5-RFP, que exige a sua demissão e a do seu regime, acusando-os de “má governação “e” má gestão “da crise multiforma em que o país está mergulhado há vários anos.

 A M5-RFP rejeitou propostas de fim da crise feitas pelos emissários da CEDEAO lideradas pelo ex-Presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, em particular a reconstituição do Tribunal Constitucional dissolvido pelo Presidente Keita e a instauração, antes de 31 de Julho, dum Governo de Unidade Nacional, com 50 por cento dos membros do regime presidencial, 30 por cento da oposição e 20 por cento da sociedade civil.

O M5-RFP reclama com prioridade pela demissão do Presidente da República, pela abertura duma investigação sobre homicídios perpetrados por elementos das forças de segurança durante manifestações contra o Presidente Keita e o seu regime, Sexta-feira última, 10 de Julho corrente, e nos dias seguintes, durante os quais 11 pessoas foram mortas e 120 ficaram feridas, segundo fontes hospitalares, e 23 mortos, e mais de 150 feridos, segundo a M5-RFP.

Segunda-feira, de dia, jovens do M5-RFP, continuando a desobediência civil, bloquearam, de manhã, certos entroncamentos da capital do Mali, impedindo muitas pessoas de irem para os seus locais de trabalho.

 Embora os líderes do M5-RFP tenham exortado os seus militantes a observarem uma trégua, a fim de permitirem às populações fazerem os seus negócios e prepararem-se para a festa de Tabaski (fim do ramadão), alguns jovens sairam às ruas para perturbarem o trânsito nesta Terça-feira, em determinados locais da cidade de Bamako.

O Pais

Deve ver notícias

error: Content is protected !!