Mais de 2.000 cidadãos multados por falta de máscara de prevenção da Covid-19

Nas últimas 24 horas foram confirmados mais 39 novos casos de Covid-19 e 10 recuperados, numa altura em que “dois combatentes incansáveis contra esta pandemia” que morreram foram homenageados. Trata-se do médico José Severino Abel, descrito como comandante de todas as batalhas de saúde, e do comissário José Horácio da Silva, 2º comandante Nacional dos Bombeiros, anunciou, ontem, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda

Mais de 2.000 cidadãos foram multados e 101 detidos por desobediência às ordens emanadas pelos órgãos de defesa e segurança visando a prevenção da pandemia da Covid-19 que já ceifou a vida de 33 pessoas no país, no período compreendido entre de 15 e 21 do corrente mês, revelou, ontem, em Luanda, o porta-voz do Ministério do Interior, comissário Waldemar José.

O responsável prestou essa informação à imprensa na habitual actualização do balanço diário sobre a pandemia no país, num período em que se contam 851 cidadãos infectados, dos quais 236 recuperaram e 33 morreram.

A estatística actual indica a existência de 582 casos activos, dos quais 15 estão em estado crítico com ventilação mecânica invasiva e três pessoas necessitam de hemodiálise. Todos se encontram a ser assistidos em unidades sanitárias de referência.

Waldemar José disse que foram detidos dois indivíduos por violação da cerca sanitária nacional, sete por violação da cerca sanitária provincial e 19 por resistência às ordens emanadas pelas autoridades de defesa e segurança e cinco por exercício de transporte colectivo de pessoas com ocupação acima de 50% da lotação.

“Efectuamos também 385 apreensões, das quais 190 viaturas, por excesso de lotação, 195 motorizadas pelo exercício do serviço de moto-táxi (por enquanto proibido em Luanda e Cazengo)”, esclareceu.

Segundo o comissário, foram aplicadas diversas multas por várias infracções ao Decreto Presidencial 184/20, a 2.474 cidadãos, das quais 2.079 por não uso de máscaras. Isto ocorreu na cidade de Luanda e no município do Cazengo, na província do Cuanza-Norte.

Waldemar José somou 80 cidadãos apanhados por venda ambulante nos dias em que não é permitida tal actividade, 157 restaurantes foram autuados, 72 pessoas por competições e treinos colectivos e 96 estabelecimentos comerciais que exercem a sua actividade além do período estabelecido.

“Quanto aos estabelecimentos de diversão nocturna, foram encerrados 11 na última semana e, quanto aos treinos desportivos, foram interditas 78 actividades desportivas”, contou.

Em relação aos mercados e venda de artesanato, disse que foram encerrados 165 mercados por não reunirem condições de bio-segurança.

Homens lideram lista de infectados

O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, esclareceu que os 39 novos casos confirmados são de Luanda, com idades de 1 a 73 anos, sendo 25 do sexo masculino e 14 do sexo feminino.

Fez saber que o caso que se encontra em isolamento na província do Namibe teve resultado negativo depois do exame de biologia molecular, RT-PCR.

Entretanto, apelou mais uma vez ao o redobrar da segurança epidemiológica e à observância das medidas de prevenção, como o uso correcto da máscara facial, a lavagem frequente das mãos com água e sabão, uso do álcool-gel, o distanciamento físico, a etiqueta ao respirar ou a tossir, bem como a não violação das cercas sanitárias.

“Ainda ontem, a senhora ministra referiu o aparecimento de dois casos na província do Cunene, fruto da violação da cerca sanitária da província de Luanda. Então, apelamos aqui ao observar das medidas”, alertou.

Por outro lado, o governante advertiu para a responsabilidade de cada elemento que compõe o núcleo familiar na observância das medidas de prevenção, evitando comportamentos de risco que podem afectar o núcleo da sociedade.

“Estacionar numa paragem de táxi, sim, mas observando as medidas de prevenção. O distanciamento social ou físico, usar um táxi que tenha 50 por cento da lotação e evitar locais com aglomerações por longo tempo”, apelou.

Quanto ao Centro de Segurança Pública (CISP), disse que recebeu 76 chamadas, das quais quatro denúncias de casos suspeitos de Covid- 19, três por violação do estado de calamidade e 69 pedidos de informação sobre o vírus.

Franco Mufinda fez saber que até a presente data, o trabalho laboratorial em biologia molecular totaliza 55.482 amostras processadas, das quais 851 positivas e 54.631 negativas. Nas últimas 24 horas foram processadas 3.098 amostras, das quais 39 foram positivas.

Sob a quarentena, disse que 912 pessoas se encontram em quarentena institucional em todo o país e nas últimas 24 horas foram atribuídas altas a 57 pessoas, sendo 39 na província de Luanda, sete na Huíla, seis no Bié, três no Uíge e Cunene e Zaire com uma cada. Disse que os casos suspeitos investigados são 1675, enquanto os contactos sob vigilância chegam a 3.832.

Interditadas 20 igrejas na província de Cabinda

O comissário explicou que em termos de actividades religiosas, foram interditadas 20 igrejas na província de Cabinda por ocupação além da lotação permitida, quando se deve ter até 50 %. No que concerne às cerimónias fúnebres, houve a necessidade interditar 24 desses eventos nas províncias do Huambo e de Benguela”.

O director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério do Interior disse que foram registados 149 casos das actividades relacionadas com a Polícia de Guarda Fronteira, com 120 de entrada ilegal frustradas.

Dos 2.884 testes rápidos serológicos realizados em 24 horas, 79 foram reactivos

Sobre testagem rápida serológica, Franco Mufinda disse que foram realizados nas últimas 24 horas 2.884 testes, dos quais 79 foram reactivos, o que significa que seis em cada 100 pessoas estiveram expostas ao SARS-CoV-2.

No total geral, foram realizados 28.847 testes rápidos serológicos, dos quais 1.489 foram reactivos, o que significa que 5 em cada 100 pessoas testadas estiveram expostas ao vírus SARS-CoV-2.

O governante fez saber que, no período em referência, no capítulo da testagem rápida encontraram alguns pontos reactivos nas províncias de Benguela, com 1 caso reactivo, Bié 2, Huambo 14, Cuanza-Sul 1, Luanda 52, Luanda-Norte 3 e Malanje 1 caso.

“Também informamos que quando estamos perante um caso reactivo, o que é indicado é a colheita das amostras e o respectivo envio a Luanda para uma análise a posterior com base na biologia molecular”, esclareceu.

error: Content is protected !!