Agentes desportivos contestam eleições nas federações para 2021

Depois de o Comité Olímpico Angolano (COA) e as federações desportivas terem decidido suspender o pleito eleitoral para 2021, devido à Covid-19, o antigo poste da Selecção Nacional sénior masculina de basquetebol e candidato à presidência da Federação Angolana da bola ao cesto, Jean Jacques da Conceição, disse não a decisão de se adiar as eleições nas federações.

Jean Jacques da Conceição revelou que as federações deviam apresentar ao Ministério da Juventude e Desportos (MINJUD) a intenção de adiar o pleito no momento em que foi emitida a circular sobre a realização das eleições para Setembro.

O antigo craque do basquetebol angolano acrescentou que as federações já tinham conhecimento da circular há mais de seis meses. “Agora que falta a um mês, não podem vir com o argumento de que não há condições sanitárias para a renovação de mandatos”, disse o candidato.

Tal como Jean-Jacques da Conceição, o presidente da Associação Provincial de Basquetebol (APB) de Malanje, Mauro Jorge, partilha a mesma opinião e critíca a posição agora assumida. “A posição do COA e das federações não condiz com a verdade desportiva, porque os clubes e associações estão a cumprir com as orientações que o MINJUD decretou”, desabafou o responsável malanjino, por sinal um dos que espera por mudanças dentro da Federação Angolana de Basquetebol. Por sua vez, o comentador desportivo no Cuanza-Sul, Fernando Guia, avançou que não há motivos para dilatar a data das eleições nas federações para o próximo ano.

“Mais uma confusão se instala no nosso desporto entre o querer e o não querer. Acho que alguém quer puxar a ‘brasa para a sua sardinha’ e esta decisão neste momento não se encaixa”, analisou.

Fernando Guia acredita que a situação pode ser resolvida nos próximos dias para o bem do desporto angolano.

error: Content is protected !!