Capitão do Progresso abandona o clube

Por razões financeiras e administrativas, Guilherme Cabuço ‘Celso’ disse que a direcção não tem condições para suportar os desafios da equipa no próximo Girabola (2020/2021)

O capitão do Progresso Associação Sambizanga, Guiherme Cabuço ‘Celso’ explicou a este jornal as razões que o levaram a deixar o clube que representou durante de 10 anos.

Celso, que actua com a camisola número 10, explicou que a formação sambila não tem neste momento condições que um jogador precisa para seguir com a carreira futebolística.

Na qualidade de capitão, o jovem jogador confessou que havia dias em que sentia muita pressão dos colegas e da própria situação que a agremiação atravessa, sobretudo quando perdessem um jogo. Algumas vezes, fruto desta situação, acabava por passar noites sem dormir e acabava totalmente desolado. “Chegou um momento em que me sentia sozinho nesse sentimento de querer ganhar jogos e ajudar o clube a passar por está fase e posteriormente ganhar títulos, porque nem todos os jogadores estavam à altura de lutar por isso. É o que eu sentia”, revelou.

Não obstante a desistência da equipa do Sambizanga, que já chegou a vencer uma taça de Angola com o técnico Joaquim Dinis, ele espera que se consiga ultrapassar o mau momento. O Progresso vive uma crise profunda que se agudizou com a saída do presidente Paixão Júnior, que não pretende se recandidatar à liderança da agremiação.

“Deixo o o Progresso do Sambizanga com lágrimas nos olhos. Foi difícil tomar essa decisão de sair do clube, mas vou com o sentimento de dever cumprido no que concerne à equipa manter- se no Girabola, o Campeonato Nacional de futebol da divisão”, assumiu.

error: Content is protected !!