Guitarrista e fundador da Banda Fleetwood Mac morre aos 73 anos 

Peter Green, guitarrista e fundador da banda de rock Fleetwood Mac, morreu Sábado, aos 73 anos, anunciou um escritório de advogados que representa a sua família 

“É com pesar que a família de Peter Green anuncia a sua morte, este fim-de-semana, pacificamente, enquanto dormia”, diz um comunicado, em que se adianta que nos próximos dias haverá mais informações. 

Nascido no bairro londrino de Bethnal Green, numa família judaica, a 29 de Outubro de 1946, Green fundou a banda Fleetwood Mac, juntamente com o baterista Mick Fleetwood, o guitarrista Jeremy Spencer e o baixista John McVic. Green abandonou, em 1970, a banda, que chegou a vender mais de 120 milhões de álbuns em todo o mundo, quando se viu afectado por uma doença mental, tendo sido diagnosticado com esquizofrenia. 

Green foi um dos mais respeitados guitarristas da sua geração e lançou vários álbuns a solo e outros com alguns membros da banda que ajudou a formar. 

Peter Green foi eleito para o Rock and Roll Hall of Fame, em 1998. O seu último trabalho de estúdio foi Say You Will, em 2003. 

Nos Bluesbreakers voltou a encontrar-se com o baterista Mick Fleetwood, com quem tinha tocado no grupo Peter B’s Looners. Pouco tempo depois entrou na banda de Mayall o baixista John McVie pouco tempo depois. Os três acabaram por sair e formaram o grupo Peter Green’s Fleetwood Mac. Com a entrada do guitarrista Jeremy Spencer, era anunciado como Peter Green’s Fleetwood Mac featuring Jeremy Spencer. 

Fleetwood Mac estreou-se no festival de blues e jazz que decorria nos subúrbios de Londres no verão de 1967. 

Deram nas vistas, o que lhes valeu um contrato com uma editora. O disco de estreia, que incluia quatro temas compostos por Green, foi lançado em Fevereiro de 1968, e esteve mais de um ano no top de vendas. 

Green manteve-se no grupo até 1969, mas deixou uma marca em mais três álbuns de blues-rock. Algumas das composições que ficaram para a história são “Oh Well” ou “Black Magic Woman”, que se transformou num hit por Carlos Santana. Green, porém, teve um percurso pessoal inverso ao sucesso da banda: o abuso das drogas e a doença mental (foi-lhe diagnosticado esquizofrenia) empurraram-no para fora da banda cujo nome não ficou com o fundador mais marcante. 

Isso mesmo reconheceu Mick Fleetwood em entrevistas. Com a saída de Green e, dois anos mais tarde, de Spencer, o grupo transformou-se radicalmente para as sonoridades pop, com a entrada de Christine McVieStevie Nicks e Lindsey Buckingham. 

Green, que chegou a estar internado em meados dos anos 70, só voltou a tocar nos anos 90 quando criou o Peter Green Splinter Group. 

error: Content is protected !!