Covid-19 provoca queda na produção de 8% no primeiro semestre

Durante o primeiro semestre do ano em curso, a produção de Catoca registou uma queda de 8% comparativamente ao período homólogo em 2019, uma situação provocada pela pandemia da Covid-19. Essa redução deveu-se sobretudo ao facto de a empresa estar a funcionar com menos de 30% da sua força de trabalho, e apenas uma das duas centrais de tratamento

A Sociedade Mineira de Catoca produziu, durante o primeiro semestre de 2020, cerca de 3,4 milhões de quilates, menos 8 por cento comparativamente ao período homólogo no ano passado, uma redução provocada pelas consequências da pandemia da Covid-19, que levaram a empresa a dispensar mais de 70 por cento da sua força de trabalho para cumprir o isolamento social nas suas bases familiares, bem como a paralisação da Central de Tratamento 1 e alguns equipamentos de grande porte.

Estes dados reflectem o grande desempenho da equipa de gestão, e comprometimento dos colaboradores que, apesar de estarem em equipas reduzidas, estão a ser capazes de manter os níveis de produção dentro do previsto, associada às dificuldades que o actual contexto impõe, em que se assiste o encerramento dos mercados internacionais de diamante e dos canais de fornecimento de materiais necessários à produção.

Em relação ao tratamento de minério, a maior diamantífera nacional tratou esse semestre cerca de 5,6 milhões de toneladas, menos 9 por cento comparativamente aos números do período homólogo no ano passado. Relativamente à massa mineira, neste período foi extraída 5,3 milhões metros cúbicos, menos 33% em comparação ao primeiro semestre de 2019.

“As empresas do sector dos diamantes vivem dias difíceis, causados pelas consequências da Covid-19, devido a necessidade de redução significativa do pessoal, bem como o facto de os mercados internacionais estarem encerrados, o que implica que as mineradoras não estão a obter receitas, e isso tem exigido uma total revisão e adaptação dos planos de produção”, disse Benedito Paulo Manuel, Presidente do conselho de gerência e director geral de Catoca.

“Essa é uma redução que nos deixa confortáveis se considerarmos que estamos a trabalhar com apenas cerca de 30% da força de trabalho, com grandes dificuldades impostas pelo actual contexto” considera Benedito Paulo Manuel.

O director geral sublinhou que embora a empresa esteja a trabalhar no quadro do Plano de Crise, tem honrado os seus compromissos com o Estado, com os fornecedores, bem como as suas obrigações salariais com o seu colectivo de trabalhadores, incluindo os mais de 70% que se encontram a cumprir o isolamento social nas suas bases familiares.

Sobre o Plano de Crise

Para limitar o impacto negativo da Covid-19, a empresa desenvolveu um plano de crise que está a implementar o reajustamento dos volumes dos planos de produção e a paralisação de uma das fábricas de tratamento.

Assim, estão suspensos os trabalhos de prospecção em outras concessões e adiados alguns investimentos para realizar um melhor acompanhamento dos processos, bem como a redução das principais despesas e insumos utilizados no processo produtivo, como energia, água, combustível e material utilizado no processo de emulsão. O plano inclui a suspensão de novas contratações.

Localizada na Província da Lunda Sul, a Sociedade Mineira de Catoca é a quarta maior mina do mundo, explorada a céu aberto, responsável por mais de 75% da produção de diamantes do país.

Com 25 anos de existência, Catoca é a empresa que mais gera empregos no sector privado da província da Lunda Sul, assegurando neste momento mais de 5.000 empregos directos e indirectos, um número que poderá subir com o início de exploração em outros projectos, previsto para os próximos anos.

O Pais

Deve ver notícias

error: Content is protected !!