Angola Telecom recua na parceria com Angorascom

A Angola Telecom anunciou, esta Terça-feira, que decidiu recuar no processo de sub-concessão de exploração da sua licença móvel à empresa Angorascom Telecomunicações, autorizado há oito meses pelo Governo angolano

A decisão tem como base o “não cumprimento dos pressupostos técnicos legais na altura” e as limitações financeiras enfrentadas pela Angola Telecom, derivadas da pandemia da Covid-19.

Em Novembro último, o Governo angolano autorizou “excepcionalmente” a sub-concessão do serviço móvel da Angola Telecom, empresa angolana de Telecomunicações, à empresa Angorascom Telecomunicações S.A.

Em conferência de imprensa, o gestor sublinhou que no momento em que foi concebida a parceria havia uma realidade, que foi alterada consideravelmente.

Num outro quadro, Adilson dos Santos recordou que muitas operadoras de telecomunicações que prestam serviço no território nacional têm os serviços da Angola Telecom, fruto da estratégia da empresa que prima pela partilha de informações para continuar a estender a sua prestação a todas as capitais provinciais.

O presidente do Conselho de Administração da Angola Telecom defende que as empresas que pretendem apostar nas telecomunicações, não devem criar infraestruturas, como anteriormente.

Sublinha que a aposta deve ser em meios já existentes, daí a importância das parcerias.

Na óptica do gestor, a ideia é que o novo investidor não invista mais em infra-estruturas e redes, para chegar ao cliente final, mas aproveitar as já existentes criadas pelo Estado angolano para que mais pessoas tenham acesso à comunicação do mundo digital.

Disse ser necessário continuar a melhorar as infra-estruturas da empresa que administra, a fim de se manter como a maior operadora de partilha.

Criada em 1992, Angola Telecom resultada da fusão das estatais Empresa Nacional de Telecomunicações e Empresa Pública de Telecomunicações.

error: Content is protected !!