Proposta do COA e das federações ainda não chegou ao Minjud

O Comité Olímpico Angolano (COA) e as federações decidiram enviar uma proposta ao Ministério da Juventude e Desportos (Minjud) a solicitar o adiamento das eleições referentes ao quadriénio 2020/2024

A proposta do Comité Olímpico Angolano (COA) e das federações, em relação ao adiamento das eleições referentes ao ciclo olímpico 2020/2024, ainda não chegou à mesa do Ministério da Juventude e Desportos (Minjud), segundo uma fonte do OPAÍS. Nos termos da legislação desportiva vigente no país, a decisão do ministério é vinculativa por ser um órgão que regula a actividade.

Nos corredores do Minjud, a intenção dos proponentes (COA e federações) está a ser observada com “régua, esquadro e transferidor”.

Pelo que se depreende, as coisas tendem a não sair da esquadria, pois deve vencer o desporto, uma vez que é um bem supremo.

A fonte do OPAÍS adiantou que o Minjud, quando acusar o dossier, antes de tomar qualquer posição, vai analisar minuciosamente todos os pressupostos. Aliás, a decisão saída da reunião entre o COA e as federações não alegrou os agentes desportivos ligados aos clubes e associações desportivas.

A Covid-19, pandemia que continua a pôr os humanos de joelhos, para os dirigentes desportivos, não deve ser um argumento fechado. Por isso, alegam que as novas tecnologias de informação podem dar resposta ao assunto em questão, logo as eleições nas federações não merecem ser adiadas para 2021.

A vida por ser um bem supremo merece respeito, porém novos métodos de trabalho podem ser feitos à luz de videoconferência, segundo os responsáveis.

error: Content is protected !!