Banca já concedeu AKz quatro mil milhões no âmbito do PAC

Quatro mil milhões de Kwanzas é o valor concedido pelas instituições bancárias por via do Programa de Apoio ao Crédito (PAC), para apoiar o Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (Prodesi)

A informação é do secretário de Estado para Economia, Mário João. O governante teceu tais considerações à imprensa no final de uma visita que efectuou à Indústria Angolana de Óleos Vegetais (Induve), com o objectivo de avaliar o grau de execução física e financeira dos USD 20 milhões para a construção de uma unidade de processamento de farinha de trigo, de modo a responder ao repto lançado pelo Executivo de redução das importações.

Trata-se de uma unidade fabril que vai, a partir de 2021, processar 700 toneladas por dia, uma média anual de 255 mil e 500 toneladas, com o objectivo de ajudar o sector acabar com o défice existente no mercado.

Disse ter uma boa impressão da indústria moageira nacional. “Podemos dizer que no tocante às farinhas de milho e de trigo poderiam já ser auto-suficientes, estarão só dependentes do grão de milho e de trigo, embora esse ter algumas dificuldades climatéricas para produzir em grande escala”.

O secretário de Estado reconheceu que o país ainda não produz tanto milho quanto a unidade fabril gostaria de transformar, continuando a depender um pouco da importação, apelando as indústrias transformadoras a ajudar na recolha da produção nacional que está a acontecer um pouco pelo país.

Por seu turno, o administrador financeiro da Induve, Kidy Aragão, disse que a principal dificuldade que enfrentam é a concorrência desleal que existe no mercado, concretamente da importação ainda massiva da fuba de milho que a Induve produz e da farinha de trigo, enquanto já existem unidades fabris em Angola que podem atender o mercado sem dificuldades.

“Houve uma grande importação de fuba de milho, sabendo que o país já tem condições de produção da fuba de milho e que têm sido os grandes alavancadores para os agricultores que produzem o milho e hoje com essa aquisição fora do país tem produtos a estragarem no campo”, fez saber o administrador.

Neste momento, prosseguiu, das 15 mil toneladas de milho que possui em silos, 8 mil se não forem transformadas em dois meses pode se estragar, por esse motivo, deve haver medidas imediatas para que instituições do estado adquiram a fuba produzida localmente.

Quando foi inaugurada em 1957, a Induve tinha na sua linha de produção dois produtos: óleo vegetal feito através do girassol e o sabão em barra.

Com o processo de redimensionamento do sector empresarial estatal, a empresa foi privatizada em 2003 e passou a incluir na sua linha de produção a farinha de milho amarela e a ração animal.

A matéria-prima sempre teve como fonte o mercado externo, por insuficiência do mercado interno.

error: Content is protected !!