Carta do leitor: INACREDITÁVEL

Tazuary Nkeita

Estimado director, bom dia.

Desejo lhe muita saúde e paz, particularmente neste Julho que abre portas para entrar o Agosto. Vamos a carta.

Terça-feira à noite, já depois das 20:00, presenciei um facto insólito quando ia parquear a minha viatura no lugar do costume, onde tenho a segurança necessária contra o vandalismo.

Àquela hora, eu ao volante, reparo que uma carrinha de reboque da Fiscalização Municipal do Kilamba Kiaxi circulava, sob meia escuridão, «rebocando» o carro de um cidadão…! Era um reboque, não era um pronto-socorro e, por isso, descartei que fosse uma avaria. Apesar da escuridão, também não vi sinais de nenhum acidente de viação!

Agora, ponha-se o leitor no lugar do lesado: passam alguns minutos das vinte horas; é certo que você estacionou mal, mas o seu carro desapareceu no meio da noite; você vive longe e a sua família – esposa, filhos, mãe ou pai – estão à sua espera em casa; ou, na pior das hipóteses, também estão fora de casa; ou, noutra hipótese mais trágica ainda, você acabou de sair às pressas de uma farmácia onde comprou um medicamento com urgência…

E já passava das 20:00…!

Pessoas assim prestam um bom serviço ao país?

Eles podem parecer que trabalham até altas horas da noite, mas também podem ser capazes de ir a um cemitério desenterrar mortos, para ver se os defuntos têm dinheiro nos bolsos, ou fazer algo pior!

Pensem nisso.

leave a reply