Governo angolano reafirma respeito aos parceiros e a organizações internacionais

O ministro das Relações Exteriores, Téte António, disse, ontem, em Luanda, que Angola dedica atenção especial aos acordos de parceria firmados com outros países e várias organizações internacionais. 

O ministro falava, via videoconferência, na sessão extraordinária do Conselho de Ministros da Organização dos Estados da África, Caribe e Pacífico (OACP), reunião dirigida a partir de Banjul pelo ministro das Finanças e dos Assuntos Económicos da Gâmbia, na qualidade de presidente do Conselho de Ministros. 

Na sua intervenção, o chefe da diplomacia angolana, Téte António, fez saber que o espírito de solidariedade e interesse colectivo vai levar a que as negociações do Acordo pós-Cotonou alcancem os seus objectivos. 

Angola, segundo Téte António, reitera o seu compromisso de acolher a X Conferência da OACP, em 2022. 

Reconheceu o trabalho dos negociadores chefes no avanço das discussões tendentes a alcançar o acordo (pós Cotonou), apesar de ainda existirem algumas questões pendentes. 

O dirigente elogiou os feitos contidos no relatório dos 100 dias de mandato do actual secretário-geral, o embaixador Georges Chikoti, bem como a nova dinâmica por este e a sua equipa imprimida, mesmo com os constrangimentos causados pela pandemia da Covid-19, visando tornar a organização num interlocutor cada vez mais forte no cenário internacional. 

Na abertura dos trabalhos, o secretário-geral da organização, Georges Chikoti, fez uma abordagem das principais actividades do secretariado, realizadas durante os primeiros 100 dias, com destaque para a entrada em vigor, a 5 de Abril último, do acordo de Georgetown Revisto, a mudança de nome de Grupo para Organização dos Estados da África, Caribe e Pacífico, bem como a criação do Departamento do Meio Ambiente e Clima. 

Lamentou o facto de as actividades do secretariado terem sofrido alterações significativas devido ao surgimento da pandemia da Covid-19, que causou mudanças e inovações na sua formatação, dando lugar a reuniões virtuais. 

Durante a reunião, os ministros analisaram o estado de negociações do acordo pôs Cotonou, com destaque para as questões ligadas à orientação sexual e a identidade do género, a governação em matéria fiscal. Em relação ao fisco, os ministros concordaram em estabelecer uma parceria de diálogo a nível bilateral e internacional sobre a luta contra o branqueamento de capitais e o financiamento do terrorismo. 

Também foram abordadas questões ligadas à paz e segurança, boa governação, migração e mobilidade. 

A Organização dos Estados da África, Caribe e Pacífico (ACP) foi criada pelo Acordo de Georgetown em 1975. 

Os principais objectivos da organização concentram-se no desenvolvimento sustentável dos seus Estados-membros e na sua integração gradual na economia global, coordenação das actividades da organização ACP, no âmbito da implementação dos acordos de parceria ACP-EU, consolidação da unidade e solidariedade entre os países ACP e estabelecimento e consolidação da paz e estabilidade numa sociedade livre e democrática. 

error: Content is protected !!