Perto de 50 cadáveres removidos pelos bombeiros em seis meses

O balanço de Janeiro a Julho do corrente ano do Comando Provincial de Luanda do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros conta um total de 49 cadáveres removidos, vítimas de afogamento, uma situação que preocupa este sector

A direcção do Comando Provincial de Luanda do Serviço de Proteção Civil tem estado preocupada com os elevados casos de remoções de cadáveres que realizam em praias, rios, lagoas, valas de drenagem, bem como em tanques de água, segundo o porta-voz Faustino Miguêns.

Entre os casos, em seis meses, estão as vítimas por afogamento, presumíveis afogamentos e salvamentos na iminência de afogamentos. Os bombeiros foram chamados para um total de 123 ocorrências, sendo 49 afogamentos (25 ocorridos em praias, 3 em rios, 17 em valas de drenagem, 2 em lagoas, 2 em tanques de água); 14 presumíveis afogamentos (ocorridos em praias); e 60 salvamentos na iminência de afogamentos (25 em ocorridos em praias, e 35 em valas de drenagem).

As vítimas de afogamento são maioritariamente do sexo masculino (42) e feminino (7), dos zero aos 60 anos e os municípios mais afectados são Luanda (12), Talatona (11), Viana (10), Belas (5), Cacuaco (6), Cazenga (3), Quiçama (1) e Icolo e Bengo (1).

Importa frisar que dentre as principais causas dos afogamentos estão o uso de locais proibidos, a fraca aptidão para natação e o uso de bebidas alcoólicas.

Os bombeiros em Luanda controlam cercam de 54 praias, 24 das quais proibidas, onde também se tem registado várias mortes, apesar das placas de sinalização nelas existentes que servem de alerta para a população.

error: Content is protected !!