Obras do Centro Cultural Moçambique-China comprometidas devido à pandemia de Covid-19

As obras do Centro Cultural Moçambique-China, empreendimento que está a ser erguido em estreita cooperação entre o Governo de Moçambique e o Governo da China pode estar comprometida devido à pandemia da Covid-19

Para constatar o grau de execução dos trabalhos, a ministra da Cultura e Turismo, Eldevina Materula, visitou as obras do referido centro, empreendimento que está a ser erguido em estreita cooperação entre o Governo de Moçambique e o Governo da China.

Eldevina Materula visitou os principais espaços do Centro Cultural, que, para além de salas de exposições e multi-uso, a infraestrutura terá quatro auditórios preparados para acolher todas as manifestações artísticas e eventos sociais.

Na ocasião, Eldevina Materula mostrou-se satisfeita com o nível de execução das obras, mas chamou atenção para a necessidade de se construirem salas adequadas que respondam à especificidade das diferentes manifestações culturais (música, dança, teatro, cinema, entre outros, devendo-se, para o efeito, acautelar toda a engenharia acústica.

Devido à Covid-19, 400 trabalhadores moçambicanos foram despedidos, o que levou ao abrandamento do ritmo normal das obras. Este facto poderá comprometer os prazos de conclusão, inicialmente estabelecido para 2021.

Eldevina Materula também mostrou-se preocupada com este cenário e assegurou que o Ministério da Cultura e Turismo está aberto para apoiar em todas as situações difíceis decorrentes da pandemia neste processo de construção do empreendimento. O director do projecto, Cao Jinming, garantiu que foram assegurados todos os direitos dos trabalhadores e que logo que se retomar as obras, no “novo normal”, os mesmos poderão ser reintegrados.

Face a esta realidade, Materula afirmou que “o Governo vai honrar com os seus compromissos. Construir um espaço desta dimensão não é fácil, seja em Moçambique ou em qualquer parte do mundo. Queremos também contar com o Governo chinês, para a formação de Recursos Humanos para a gestão deste centro, porque temos certeza de que este projecto vai dignificar o nosso país, ao nível de infra-estruturas culturais”.

Importa referenciar que o Centro Cultural Moçambique-China é o primeiro e único do género em África, pela sua grandeza e complexidade tecnológica.

O mesmo vai incorporar salas de informática e Multimedia; uma biblioteca; anfiteatro para palestras; galeria para exposição de obras de arte e artesanato; um estúdio de gravação de música; uma editora discográfica; espaço para desfile de moda e dois parques de estacionamento.

A infra-estrutura está localizada no Campus principal da Universidade Eduardo Mondlane, na cidade de Maputo, e prevê- se que a conclusão das obras seja no 2º semestre de 2021.

leave a reply