Sociedade Civil repudia SIC

A Rede Contra o Abuso e Tráfico de Menores (CTAM)repudia, energicamente, a falta de ética e deontologia profissional do jornalista correspondente da SIC, em Luanda, Hélder Silva, e dos seus editores que veicularam notícias falsas sobre alegadas crianças doentes a padecerem de fome e doenças num suposto Centro de Infância no bairro Baixa de Cassanje, em Luanda, município de Viana

De acordo com uma nota de repúdio chegada à nossa Redacção, A Rede CETAM, recém-criada, em Luanda, afirma ter visitado na passada Quinta-feira, dia 30, o referido bairro.

“No fim do dia, depois de ouvir mais de 200 moradores, dos vários sectores do bairro, e observar, pacientemente, as infra-estruturas locais, constatou não existirem as crianças apresentadas na alegada reportagem nem o referido centro“, lê-se na nota assinada pelo activista social Pombal Maria, um dos coordenadores da rede.

“Mais de duzentas pessoas entrevistadas, em uníssono, disseram não se tratar de uma realidade vivida naquela comunidade. Apelaram para que não usem falsas informações para tirar proveito pessoal. O bairro como qualquer outro, de zonas periurbanas de Angola e África, têm várias necessidades sociais“, acrescentam.

A rede acrescenta ainda que “Podemos constar várias crianças confinadas em casa, por conta da Covid-19 e a falta de aulas. Há pobreza entre as famílias. A falta de água e desemprego são as grandes preocupa da comunidade“.

O bairro Baixa de Cassange está situado a norte do município de Viana, possui mais de 5 mil famílias, na sua maioria provenientes da província de Malanje, como deslocados de guerra no período de guerra civil.

No local, o Governo de Angola está a concluir a construção de uma grande Unidade Hospitalar.

A Rede Contra o Tráfico e Abuso de Menores é uma instituição fundada no dia 21 de Julho de 2020, por sete (7) organizações angolanas, Acção Humana, SOS habitat, JUCARENTE, ASSOL, ANVA (Acção Médica Voluntária de Angola), ASCAM (Associação Solidária Cristã de Ajuda Mútua) e ASSOL (Associação de Solidariedade Social), com o objectivo de combater todas as manifestações de abuso infantil, em particular a exploração sexual e comercial infantil, trabalho infantil e tráfico de crianças para qualquer finalidade. Actualmente, tem trocado experiências com a rede CAM (Rede Contra o Abuso de Menores de Mocambique).

É membro da SANTAC (Rede Regional Contra o Tráfico e Abuso de Menores) e está a aumentar o leque dos seus membros nas províncias do interior. Tem como estratégia trabalhar em parceria com os órgãos de Justiça para a prevenção, denuncia e contribuir no combate ao abuso de menores.

error: Content is protected !!