País com 12 pacientes críticos e 18 graves num dia em que um morreu de Covid-19

O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, anunciou, ontem, mais 35 novos casos positivos de Covid-19, além de mais um morto e um doente recuperado. Entretanto, o país tem o registo de 18 pacientes graves e 12 em estado crítico com ventilação mecânica invasiva, bem como 23 moderados

Franco Mufinda, que falou na habitual actualização de dados sobre o quadro epidemiológico no país, esclareceu que entre os 35 novos infectados consta um do município do Dande, província do Bengo, importado de Luanda, onde estão localizados os restantes da capital.

Os pacientes em causa têm idades compreendidas entre os seis e os 83 anos, sendo na sua maioria do sexo masculino, 20. Os outros 15 são do sexo feminino.

De acordo com o governante, a pessoa que perdeu a vida é um cidadão angolano de 35 anos de idade que tinha várias co-morbilidades, além da Covid-19. Ele esteve internado no Hospital de Campanha da Zona Económica Especial com complicações de pneumonia no comportamento da Covid-19, o que fez com que não resistisse, apesar de estar a ser devidamente assistido.

Neste momento, o país tem registo de 1.199 casos positivos, dos quais 55 resultaram em óbitos 461 foram recuperados e 683 estão activos. Destes, 18 estão em estado grave, 12 em estado crítico e com ventilação mecânica invasiva e 23 estão moderados.

O governante fez saber que continuam com a vigilância laboratorial e o rastreio dos contactos positivos nos centros sentinela e nos grupos de risco.

“Olhando para o aumento de casos, apelamos mais uma vez ao uso obrigatório da máscara em todos os locais, a lavagem com frequência das mãos com água e sabão e a desinfecção com álcool gel”, apelou.

Por outro lado, Franco Mufinda salientou a observância do distanciamento físico e a não violação da cerca sanitária como medidas que todos os angolanos devem cumprir. “A nossa saúde não tem preço. Logo, devemos participar activamente nesta luta contra a Covid-19”, enfatizou.

Assim sendo, pede para que as pessoas cuidem das suas famílias, evitando aglomerados e reduzindo a frequência e permanência em lugares com bastante ajuntamento, como os mercados, paragem de táxis e restaurantes, por serem os principais locais de proliferação do novo Coronavírus.

Já o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu, nas últimas 24 horas, 55 chamadas, das quais 50 foram pedidos de informação sobre a Covid-19.

Mais de 60 mil amostras processadas

O Laboratório de Biologia Molecular já processou, até ao momento, 64.747 amostras, das quais 1.1199 foram positivas, de acordo com o secretário de Estado para a Saúde Pública.

Sobre a testagem serológica, Franco Mufinda fez saber que há um total de 38.334 testes rápidos serológicos, dos quais 2.290 foram reactivos.

Por outro lado, disse que nas últimas 24 horas 52 pessoas receberam alta, sendo 19 na província de Luanda, 13 em Benguela, nove no Cunene, quatro no Uíge, três no Cuando Cubano, duas no Moxico e uma no Huambo e Malanje.

Entre as actividades realizadas a nível das demais províncias, apontou o Zaire, Moxico, Bié, Luanda, Cunene, Benguela e Lunda-Sul que reportaram a formação, rastreio, desinfecção e sensibilização na comunidade, olhando para a informação, educação e comunicação no que tange a Covid-19.

Sobre as actividades relacionadas ao rastreio com recurso a testagem rápida, Franco Mufinda disse que as províncias que reportaram os casos reactivos são o Bié, com três casos, Luanda, com 26, Lunda-Norte seis, Malanje dois, Moxico e Zaire com um caso.

leave a reply