Exposição “Cegueira da Justiça” de Etona que homenageia a mulher africana atrai atenções dos munícipes em Cacuaco

A mostra que ficará patente até ao dia 7 do corrente mês, enquadra-se no projecto “Expo Tour Contemplação”, desenvolvido pelo artista, e foi inaugurada pela secretária de Estado da Cultura, Maria da Piedade de Jesus, em representação da ministra da Cultura, Turismo e Ambiente, Adjani Costa

A exposição intitulada “Cegueira da Justiça”, do artista plástico António Tomás Ana (Etona), inaugurada nesta Sexta-feira, 31 de Julho, no município de Cacuaco, em Luanda, com o objectivo de homenagear a Mulher Africana na sua data, está a atrair a atenção dos munícipes.

A mostra em escultura assemelha- se à Deusa Grega da Justiça ‘Temis’, com os olhos vendados e possui 3 metros e 60 centímetro de longitude, dois metros e 70 de altura e 2 metros e meio de largura.

Está exposta na zona do tanque do município de Cacuaco, à berma da estrada, sobre os carris da antiga linha férrea. A mesma enquadra-se no projecto “Expo Tour Contemplação”, desenvolvido pelo artista. Em conversa com OPAÍS, Etona disse que muitos são os cidadãos que estão a passar, e, com muita euforia, estranham o trabalho e tecem considerações positivas, enquanto outros questionam sobre a sua produção e relevância.

“Estão todos curiosos porque, na corrente de Malanje, quem faz uma figura semelhante ao homem é considerado como feiticeiro. Por isso é que assumo esse desafio de aparecer publicamente, porque era necessário quebrar esse tabu, que a própria igreja aproveita para extorquir, através do desconhecimento e a falta de conhecimento da população”, considerou.

O talentoso artista considera que a presente exposição como ponto de partida importante para o projecto que será desenvolvido faseadamente noutros pontos da cidade capital.

Quanto à homenagem, referiu que pretende juntar forças úteis, para engrandecer ainda mais aquilo que é a figura da mãe, da avó, da irmã, da filha, para os desafios relacionados com o desenvolvimento do continente “Berço”.

“São várias as zungueiras que estão a visitar a exposição, que dedico à Mulher Africana. Por isso, está a ir muito mais além do que esperava. Por ser uma novidade, no formato de exposição ao ar livre, os visitantes apelam para mais realização de actividades do género”, contou.

O artista realçou ainda que a devida homenagem corresponde à fase em que vivemos, relacionada com a pandemia da Covid- 19, ressalta alguma atenção com relação aos cuidados que as mulheres têm tido ao tratar dos cidadãos (pai, esposo, filhos, irmão).

O Expo Tour

O projecto de contemplação de obras prosseguirá nos municípios do Cazenga, Viana e de Luanda, com a exibição de diferentes obras. Sobre o plano, Etona realçou que, no final, desejam realizar uma grande exposição no município de Luanda, com 15 a 20 esculturas de grande dimensão, a fim de mostrar o crescimento do país, substanciado na parte de esculturas artísticas.

Com o presente plano almeja também proceder uma “Vigília Cultural”, através da amostra em lugares de grande movimentação populacional, com o objectivo de buscar um barómetro de medição sobre a maneira que os cidadãos apreciam a arte, e o que pensam dela. O trabalho de avaliação será desenvolvido em parceria com o Instituto Superior Tocoísta e o Metropolitano.

error: Content is protected !!