REMPE cadastra mais de mil empresas em Malanje

Pelo menos mil e 600 empresas e estabelecimentos serão cadastradas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) na província de Malanje a partir Agosto, deste ano, no âmbito do Recenseamento de Empresas e Estabelecimentos (REMPE) 2019/20

A informação foi avançada na Sexta-feira, na cidade de Malanje, pelo chefe dos serviços provinciais do INE na região, Sidó Socola, durante a cerimónia de encerramento de uma formação de agentes de campo REMPE, que teve início dia 20 deste mês.

Fez saber que para a província de Malanje, o serviço de cadastramento de empresas e estabelecimentos comerciais será feito por sete agentes do INE, durante um ano.

Solicitou aos participantes do curso a colocarem em prática os conhecimentos adquiridos na formação para se conseguir êxitos nesta tarefa.

Explicou que o programa prevê organizar as empresas e estabelecimentos a partir da ordem jurídica, tipo de actividade, participação e origem do capital social, volume de negócio, assim como o coeficiente técnico de produção.

O objectivo desta tarefa, realçou, é identificar o aproveitamento da tecnologia e comunicação para actualização do ficheiro estatístico das empresas, estabelecendo uma base de dados de qualidade para as futuras amostras dos ramos empresariais, entre outros aspectos.

A formação foi promovida pelo INE e contou com participação de 55 agentes de campo das províncias de Malanje, Lunda Norte, Lunda sul, Moxico e Cuanza Sul, que vão trabalhar no Recenseamento de Empresas e Estabelecimentos.

Lançado em Março deste ano, o REMPE é uma operação estatística que consiste na recolha, tratamento, analise e difusão de dados sobre todas as empresas e estabelecimentos visíveis e fixos que exerçam actividades económicas em Angola, independentemente da sua situação legal.

O REMPE vai abranger empresas e estabelecimentos dos sectores formal e informal, respectivamente, com excepção da actividade ambulante, agricultura, pescas, indústrias petrolífera, financeiras e de seguros, de 17 províncias do país, com excepção de Luanda.

leave a reply