ONG denuncia agravamento da fome na Huíla

A organização não-governamental Associação Construindo Comunidades, no município dos Gambos, província da Huíla, revela que as famílias que dependiam essencialmente dos mercados e de parentes que vivem nas cidades estão a enfrentar inúmeras dificuldades, sobretudo na aquisição de alimentos

O presidente da Associação Construindo Comunidades (ACC), Padre Pio Wakussanga, disse, ontem, que a situação de calamidade pública vigente no país devido à pandemia da Covid-19 está a agravar a fome no seio da população do município dos Gambos, província da Huíla.

Em entrevista a este jornal, Padre Pio revelou que apesar da vantagem de viver relativamente distante das cidades, onde se tem confirmado maior número de casos de infecção do novo Coronavírus, há, por outro lado, a desvantagem no que toca a aquisição de alimentos. Fez saber que as pessoas que dependiam do movimento dos mercados para a comercialização de produtos e aquisição de alimentos estão agora a passar fome.

“Os alimentos diminuíram consideravelmente devido a todas as restrições impostas, as famílias já começam a passar por necessidades, disse.

Sobre as medidas de bio-segurança, Padre Pio referiu que a maior dificuldade está na aquisição do sabão, um dos produtos essenciais para a lavagem das mãos, para além da água que ainda não jorra para todos, já que muitas famílias continuam a percorrer longas distâncias em busca da mesma.

Testagem em massa Apesar de as autoridades não terem reportado ainda qualquer caso suspeito de Covid-19 naquela localidade, Padre Pio considera necessária e urgente a testagem massiva.

“Seria bom se houvesse um programa de testagem massiva, aínda que fossem testes rápidos, porque nós aqui fazemos fronteira com a província do Cunene que também faz fronteira com a República da Namíbia e é conhecido o movimento aqui, há sempre a tendência de se querer furar a cerca sanitária”, avançou.

PIIM já se faz sentir nos Gambos

No que tange ao Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), implementado há um ano pelo Executivo, Padre Pio disse que está já a dar alguma luz verde no município dos Gambos, com a construção de algumas infra-estruturas.

“Está em curso a construção de um grande hospital na sede municipal dos Gambos, bem como tantas outras obras em que nós, como entidades eclesiásticas, fomos convidados a assistir, e, esperamos que isso venha a aligeirar um município abandonado, como é o caso dos Gambos”, disse.

Relativamente ao Kwenda (um programa de transferências monetárias às famílias mais carenciadas), a fonte disse não ter conhecimento da selecção do município dos Gambos.

Ainda no âmbito do combate à fome e à pobreza, o responsável, que se mostrou preocupado com a segurança alimentar em época de pandemia, apontou para a necessidade de se criar outros programas de apoio à iniciativa local, iniciativas como as que visam o crescimento da criação do chamado “gado médio ou miúdo” e ainda a nível central, de um programa de fomento e apoio aos pequenos camponeses.

leave a reply