JMPLA diz que execução do PIIM está a reduzir os níveis de desemprego juvenil

Para a agremiação juvenil do partido MPLA, as diferentes empresas que trabalham na operacionalização e implementação do referido plano, que é de âmbito presidencial, estão a colocar mão de obra jovem nos diferentes projectos em execução no país. O facto está a proporcionar a essa franja da sociedade, segundo Crispiniano dos Santos, “um acelerado processo de integração e inclusão social, apesar do actual contexto de dificuldades impostas pela Covid-19”

O primeiro secretário nacional da JMPLA, Crispiniano dos Santos, disse ontem que a execução dos projectos sociais, como o Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), está a minimizar o impacto das dificuldades impostas pela Covid-19 sobre a geração de empregos. 

Segundo o membro do Bureau Político do Comité Central do MPLA, que falava à margem do encontro de balanço das visitas que efectuou às estruturas de base da sua organização, em Luanda, a execução do PIIM, em várias partes do pais, está a criar novas oportunidades de emprego para a juventude. 

Segundo ele, as diferentes empresas que trabalham na implementação do referido plano “estão a colocar muita mão-de-obra jovem nos diferentes projectos em execução”, facto que está a proporcionar a esta franja da sociedade o sentimento de integração e inclusão social. 

Para Crispiniano dos Santos, a semelhança de outros planos, como o programa de transferências financeiras às famílias mais vulneráveis, denominado Kwenda, a execução do PIIM, para além de criar infraestruturas sociais importantes para as comunidades, está igualmente a contribuir para a redução das assimetrias sociais mediante a oferta de oportunidade de emprego. 

O político defende que é importante que os jovens beneficiários saibam desenvolver as suas capacidades com responsabilidade para contribuírem para o bem colectivo e individual que é a satisfação da oferta de emprego. 

“Apesar das dificuldades, o Governo está a fazer a sua parte. Agora é preciso que nós, jovens, saibamos valorizar as oportunidades que nos são dadas”, defendeu. Patriotismo em momento de crise. 

Por outro lado, Crispiniano dos Santos entende que o actual contexto económico do país é muito desafiante em função das dificuldades impostas pela Covid-19. Ainda assim, frisou, os jovens não podem cruzar os braços diante das dificuldades. Por isso, defende que estes sejam os aliados que devem estar na linha da frente de todas as acções e políticas públicas para se minimizar o impacto causado pela pandemia. 

Relativamente ao estado actual da sua organização, Crispiniano dos Santos explicou que se encontra sólida e comprometida com as políticas públicas que visam o reforço do bem-estar da juventude angolana. Mas, apesar das dificuldades, Crispiniano dos Santos disse que as estruturas intermédias da organização que dirige estão a funcionar na plenitude, facto que o agrada por ter constatado um elevado grau de comprometimento dos responsáveis a nível de todos os distritos e municípios da província de Luanda. 

De acordo ainda com responsável político, os militantes e os núcleos da sua organização também encontram- se organizados e imbuídos na mesma causa. “Com isso podemos afirmar que a JMPLA está cada vez mais inserida na sociedade. E isso nos satisfaz”, apontou. 

Com os jovens  

Crispiniano dos Santos disse ainda que a JMPLA continuará a ser um privilegiado interlocutor e intermediário dos problemas da juventude junto do Executivo que, apesar do momento actual, tudo está a fazer para continuar a resolver as questões que mais afligem este segmento da sociedade. 

“Continuamos no mesmo espírito de resolver os anseios dos jovens angolanos, independentemente da sua cor partidária”, assegurou. 

leave a reply