Angola reafirma aposta na Zona de Comércio Livre africana

Angola reiterou ontem, Sexta-feira, na sede da União Africana (UA), em Addis-Abeba (Etiópia), o seu engajamento em contribuir para a materialização da Zona de Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA), cujo processo de ratificação do acordo “está numa fase avançada”.

A posição foi reafirmada pelo Representante Permanente de Angola junto da UA e na Comissão Económica das Nações Unidas para África (Uneca), Francisco da Cruz, ao ser recebido, em audiência, pelo Secretário-Geral da ZCLCA, Wamkele Mene, na capital etiópe, citado pela Angop.

O diplomata recordou que o Presidente de Angola, João Lourenço, esteve entre os primeiros líderes africanos a assinar o acordo, no quadro da 10ª Cimeira Extraordinária da União Africana, a 21 de Março de 2018, no Ruanda, consagrada ao lançamento formal da ZCLCA.

O embaixador Francisco da Cruz reagia ao desejo manifestado pelo secretário-geral da ZCLCA, Wankele Mene, sobre a importância de Angola ratificar o referido acordo, antes da Sessão Extraordinária da Assembleia de Chefes de Estado e de Governo da UA prevista para 5 de Dezembro, na África do Sul.

Esta cimeira vai analisar o progresso registado na criação da ZCLCA, que consta de entre os projectos emblemáticos da Agenda 2063 da UA. Saliente-se que os deputados à Assembleia Nacional votaram em Abril, por unanimidade, o Projecto de Resolução para Ratificação do acordo que cria a ZCLCA. Vinte e oito estados do continente já ratificaram o documento, o que permitiu a sua entrada em vigor.

A ZCLCA visa criar um único mercado continental de bens e serviços, estabelecer a livre circulação de pessoas e abrir a via para a aceleração de uma união aduaneira em 2022 e de uma comunidade económica africana até 2028.

A audiência concedida ao diplomata angolano, igualmente embaixador na Etiópia, foi também uma oportunidade para este abordar a possibilidade da inserção de quadros angolanos na estrutura do Secretariado da ZCLCA, baseado em Acra, Gana, e que entrará brevemente em funcionamento.

leave a reply