País regista mais 55 novos casos de Covid-19, três mortes e 24 recuperados

O país registou, nas últimas 24 horas, 55 novos casos de Covid-19, dos quais 34 são do sexo masculino e 21 do sexo feminino. Entretanto, três pacientes morreram e 24 recuperaram, anunciou, ontem, à imprensa, a directora Nacional da Saúde Pública, Helga Freitas

Dois dos três angolanos que morreram ontem de Covid-19, com idades compreendidas dos 58 a 81 anos de idade, residiam no município de Talatona e um do distrito urbano da Ingombota, na província de Luanda. Segundo Helga Freitas, todos eles apresentavam co-morbilidades, como a hipertensão arterial, a diabetes melitos e mio-cardiopatia.

Já em relação aos 55 novos casos, a directora Nacional de Saúde Pública, Helga Freitas, que falava na habitual actualização diária sobre a situação epidemiológica no país, explicou que um foi registado na província de Malanje, cinco no município do Soyo, província do Zaire, e os restantes 49 casos ocorreram na província de Luanda.

Os novos infectados têm idades compreendidas entre os quatro meses e 70 anos, dos quais 21 são do sexo feminino e 34 do sexo masculino. Com estes dados, a estatística aponta 1.538 casos positivos, com 67 óbitos, 544 recuperados e 927 activos. Dos activos, quatro estão em estado crítico e com ventilação mecânica invasiva, 21 em estado grave, 24 em estado moderado, 35 com sintomatologia ligeira e 843 encontram-se assintomáticos.

“Temos a informar a recuperação de 24 casos activos, hoje [ontem], sendo dois do sexo feminino e 22 do sexo masculino, perfazendo um total cumulativo de 544 casos activos recuperados”, disse.

Mais de 11 mil amostras do laboratório de RT-PCR foram já processadas

Segundo a directora Nacional de Saúde Pública, no período em referência foram processadas no laboratório, por RT-PCR, 11.896 amostras, passando, com isso, o país a ter um acumulado de 32.193 amostras processadas até ontem.

Helga Freitas explicou ainda que ontem foram realizados 578 testes rápidos serológicos, dos quais 30 foram reactivos, o que significa que 5,2 em cada 100 pessoas rastreadas estiveram expostas ao vírus.

No cômputo geral, foram realizados 41.062 testes rápidos serológicos, dos quais 2.557 foram reactivos, o que significa que 6,2 pessoas em cada 100 pessoas rastreadas estiveram expostas ao SARSCoV-2.

Por outro lado, esclareceu que foram concedidas alta a 296 pessoas, entre estas 261 na província de Luanda, 21 na Lunda-Norte, cinco no Cuando Cubango, quatro no Uíge e duas no Moxico.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 81 chamadas, das quais duas foram denúncias de casos suspeitos, quatro de violação da cerca sanitária e 75 foram relacionadas a pedidos.

“Pessoas com doenças crónicas devem fazer as consultas de rotina”

Helga Freitas sublinhou que além das consultas de rotina, as pessoas que se encontram nessa condição devem cumprir correctamente com o seu tratamento.

“As mulheres grávidas devem ir às consultas pré-natais e, às mães, aconselhamos a cumprirem com o calendário nacional de vacinação”, lembrou.

Por outro lado, entre as actividades de sensibilização sobre as técnicas de prevenção desta doença, o destaque recaiu para a formação da comunicação social, realizada no Centro de Formação de Jornalistas (Cefojor).

Esta acção resultou de um trabalho conjunto entre o Ministério da Saúde e o das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social. Já na província do Cuanza Norte, os profissionais de saúde procederam à colheita de 207 amostras.

leave a reply