Líder de Bielorrússia encaminha-se para vitória eleitoral e Polícia reprime protestos

A Polícia da Bielorrússia reprimiu protestos que eclodiram quando o veterano presidente Alexander Lukashenko se aproximava de outra vitória eleitoral esmagadora no Domingo, diante do maior desafio em anos para o seu controlo do poder.

Pelo menos 10 pessoas foram detidas num local em Minsk, disse uma testemunha da Reuters, enquanto a mídia local relatava detenções na capital e noutras cidades.

Os manifestantes aplaudiam e accionavam as buzinas de seus carros em solidariedade à oposição. Ex-administrador de fazenda colectiva soviética, Lukashenko governa o país desde 1994, mas tem enfrentado uma onda de irritação pela forma com que tem lidado com a pandemia de Covid- 19, pela situação económica do país e pelo seu histórico de direitos humanos.

Pesquisas de boca de urna aprovadas pelo Estado mostraram-no como vencedor com 79,7% dos votos, enquanto a principal oponente, Svetlana Tikhanouskaya, uma ex-professora de inglês que saiu da obscuridade há algumas semanas para liderar manifestações contra ele, teria recebido 6,8%. Tikhanouskaya entrou na disputa depois de o seu marido, um blogueiro contrário ao governo que pretendia concorrer, foi preso.

Observadores estrangeiros não consideram as eleições na Bielorrússia livres e justas desde 1995, e Lukashenko alertou os manifestantes a não tomarem as ruas após a votação. Veículos militares, soldados e policiais patrulhavam a capital, Minsk, aparentemente prontos para uma nova repressão. A Internet e as redes sociais sofreram interrupções.

Fortes explosões são ouvidas na capital da Bielorrússia, relata corresponde da Sputnik

A capital da Bielorrúsia, Minsk, foi atingida por explosões neste Domingo (9). O país regista protestos após as eleições presidenciais. A candidata oposicionista Svetlana Tikhanovskaya afirma que o resultado do pleito foi falseado para favorecer o actual presidente Aleksandr Lukashenko.

A opositora afirma que a justiça eleitoral local falhou em fiscalizar a eleição e que há uma tentativa de “impedir a livre expressão da vontade dos cidadãos bielorrussos”.

Embora o resultado do pleito ainda não tenha sido divulgado, pesquisas de boca de urna indicam uma vitória expressiva de Lukashenko.

Um correspondente da Sputnik em Minsk relata ter ouvido fortes explosões e uma nuvem de fumo no ar. Também neste Domingo, a Polícia usou gás lacrimogêneo para dispersar manifestantes que se reuniram após o fecho das urnas.

De acordo com o chefe da fiscalização da eleição, o actual presidente Lukashenko estava a vencer em todas as regiões que relataram dados de votação.

leave a reply