Suposto “barão da droga” condenado a 4 anos de prisão

O Tribunal provincial de Luanda, palácio Dona Ana Joaquina, condenou hoje, o cidadão Valdir Carlos, por ter cometido o crime de tráfico de drogas, após ter ficado provado que os 201 gramas de cocaína apreendida no seu escritório as pertenciam. O réu foi absolvido do crime de associação criminosa

Quatro anos de prisão e o pagamento de 100 mil Kz de taxa de justiça é a pena aplicada ao réu Valdir Carlos, casado, de 47 anos, por ter ficado provado, segundo o juiz da causa, José Cerqueira Lopes, que a droga apreendida no seu escritório, no W Club, a si pertencia.

Embora o réu tenha invocado, em audiência anteriores, que os 201 gramas de cocaína era para consumo próprio, o andamento do julgamento mostrou o contrário, uma vez que exames de toxicologia a que foi submetido deram negativo para o consumo de drogas. Militaram a favor do réu o facto de ser réu primário, de ter 13 filhos para sustentar, de ser empresário no ramo de entretenimento há 25 anos, bem como de ter confessado parcialmente o crime.

Para o crime de tráfico de drogas, a moldura penal para este crime vai de 8 a 12 anos, mas Valdir Carlos foi condenado a 4 anos de prisão. Valdir vinha ainda acusado do crime de associação criminosa, por supostamente liderar um grupo de traficantes de drogas, facto que não ficou provado, pelo que foi absolvido deste crime.

Em actualização…

leave a reply