Falha na Internet pode levar Assembleia-geral da FAJ em Malanje

Depois do fracasso, via online, no encontro com os associados, por culpa da má qualidade da Internet, no passado Sábado, em Luanda, o coordenador da comissão de gestão da Federação Angolana de Judo (FAJ), Casimiro Bento, revelou a O PAÍS que o órgão reitor da modalidade pondera realizar de forma presencial a Assembleia- geral nos próximos dias, em Malanje.

A reunião da família do judo vai servir para a marcação da data das eleições, da aprovação do relatório e contas, bem como da nomeação da comissão eleitoral, tendo em vista o quadriénio olímpico 2020/2024. Casemiro Bento reconheceu que a cidade de Luanda está sob cerca sanitária, face à Covid-19, mas prometeu enviar um relatório ao Ministério da Juventude e Desportos (MINJUD) para explicar a intenção de levar o certame às terras da Palanca Negra Gigante. Caso esta hipótese seja admitida pelo órgão que rege o desporto no país, o dirigente federativo garantiu que os membros da comissão de gestão antes de deixarem o solo luandense vão cumprir as orientações das autoridades sanitárias.

O responsável admitiu que os associados da FAJ não têm tantas condições para a realização do certame na plataforma digital “Zoom”, porque no passado Sábado verificaramse muitas falhas no sinal de Internet e muitos deles não tinham saldo de dados suficiente. “Acredito que pelas discussões que há, tem de ser mesmo de forma presencial, porque temos que averiguar algumas irregularidades. Na verdade, o objectivo é fazer as coisas bem para que a modalidade possa conhecer melhores dias”, esclareceu. Segundo fonte a que este jornal teve acesso, Paulo Nzinga foi destituído da presidência da FAJ pelos sócios, porque não prestava contas e usava os meios da federação para fins pessoais. Nas competições internacionais, Paulo Nzinga levava amantes e familiares, sendo que as despesas eram pagas com o dinheiro da Federação Angolana da modalidade. O presidente demitido da FAJ já desmentiu à imprensa estas acusações.

 

leave a reply