O Papel das Artes no Desenvolvimento Cognitivo das Crianças” em discussão no espaço “Fale Connosco”

Os debates, com a prelecção dos docentes e artistas plásticos, Gilberto Kapitango e Rui Garção, e moderação do formador de Oratória, Camilo Lemos, serão antecedidos por um momento cultural, a ser abrilhantado pela pequena poetisa, Lesliana Ngola

Artistas e instituições público – privadas discutem nesta Sexta-feira, 14, das 14 às 15 horas e 30 minutos, no Espaço de debate online “Fale Connosco”, o “Papel das Artes no Desenvolvimento Cognitivo das Crianças”. O debate promovido pela Fundação Arte e Cultura, terá como prelectores, os docentes e artistas plásticos Gilberto Kapintango e Rui Garção, moderação de Camilo Lemos e será transmitido ao vivo na página oficial do Facebook da Fundação (@FundacaoArteECultura ou pelo https://web.facebook.

com/FundacaoArteECultura/). Camilo Lemos, responsável do Gabinete de Comunicação da Fundação Arte e Cultura, informou a OPAÍS que durante as discussões serão ainda analisados na vertente das artes plásticas, o design gráfico, a música e os instrumentos musicais, um projecto resultante de um estudo sobre a última exposição sobre instrumentos tradicionais desde a antiguidade até aos nossos dias. Recordou que, enquanto decorrerem as emissões Live, as famílias e outras entidades interessadas, poderão interagir com os oradores, enviando mensagens ou ligando para os contactos 934 567 627 ou 923 780 105.

Durante a discussão, os oradores poderão ainda opinar sobre a Estrutura Cultural e Mental na Formação do Homem Novo, e na Transformação da Consciência das Crianças entregues ao mundo da droga. Recorde-se que na edição passada a discussão concentrou-se no tema “Procedimentos para Identificar e Reunificar as Famílias de Crianças em Situação de Rua”, do qual foi orador Adjaime de Freitas, que fez um breve rescaldo sobre a reunificação e a integração social da criança nas condições já referenciadas, o que na sua óptica a sua integração no seio familiar passava, entre outros aspectos, por ensiná- las as artes, a prática de alguma actividade cultural. As discussões contarão ainda com a participação de profissionais do Instituto Nacional da Criança (INAC), entre outras individualidades.

O projecto

“Fale Connosco” é um programa ao vivo que tem como finalidade criar um espaço de debate e discussão aberta sobre as crianças e os adolescentes, bem como o papel das artes educativas na sua formação durante o percurso pela infância, adolescência e até à idade adulta. Propõe-se ainda trazer temáticas em torno das políticas dos Centros de acolhimento e o seu real papel na garantia da formação, e segurança das crianças e adolescentes. O projecto prevê, num curto espaço de tempo, alargar o programa às plataformas de emissão ao vivo, nomeadamente YouTube, Instagram, bem como à rádio e à televisão, num esforço conjunto entre a Fundação Arte e Cultura e o Instituto Nacional da Criança.

A Fundação

Criada a 25 de Janeiro de 2006, a Fundação Arte e Cultura tem o seu foco principal a inserção social das famílias em situação de vulnerabilidade e de risco, e o apoio às artes e à cultura angolana. Recentemente inaugurou o seu novo Cento Cultural e sede na Ilha de Luanda, onde centenas de crianças e adolescentes participam nas mais diversas áreas de formação, designadamente, as artes plásticas e performativas, artesanato e corte e costura, música, dança, ioga, ginástica, informática, actividades de superação escolar, entre outras. A Fundação Arte e Cultura é parte integrante da Menomadin Foundation, organização internacional de investimento de impacto e filantropia, representando ainda, em Angola, o compromisso de responsabilidade social corporativa do Grupo Mitrelli, principal mecenas da Fundação.

O INAC

Já o INAC é uma instituição pública do sector administrativo e social ao qual compete garantir a execução das políticas do Executivo no domínio da protecção e da promoção dos direitos da criança, através de acções de advocacia, de investigação científica e de protecção social da criança, sobretudo a que se encontra em situação de vulnerabilidade.

leave a reply