CIA desenvolveu drone ‘pássaro’para espiar União Soviética, mas cancelou o projecto

O Projeto Aquiline, que previa a criação de uma frota de 12 drones em forma de pássaro, foi em algum momento cancelado, provavelmente devido à sua complexidade técnica

Durante a Guerra Fria, a CIA tentou desenvolver um drone nuclear do tamanho de um pássaro para espiar a União Soviética e outros países do bloco comunista. O projecto, contudo, nunca foi completado.

A razão pela qual os planos de desenvolvimento do drone foram descartados permanece desconhecida, segundo documentos desclassificados pela agência de inteligência norte-americana.

O denominado Projeto Aquiline previa a criação de uma frota de 12 pequenos drones, propulsados por energia nuclear, que poderiam permanecer no ar por períodos de até um mês e actuar como aviões espiões robóticos, assim como entregadores de cargas secretas.

A CIA planeou o Aquiline como a primeira plataforma não tripulada de colecta de inteligência. A missão deste programa secreto era “desenvolver, alcançar e manter uma capacidade operacional para realizar reconhecimentos encobertos e penetrar em áreas negadas”.

Um drone parecido com um pássaro. O Aquiline tinha que ser o mais parecido possível com um pássaro e a CIA o descreveu como um “pequeno veículo sub-reptício, parecido com um pássaro, com uma secção transversal acústica, visível e com radar, suficientemente pequeno para o permitir operar no ambiente de sinais físicos naturais das aves vivas”.

Desta forma, os radares e guardas humanos deveriam confundir o drone com um pássaro e dariam pouca atenção ao mesmo, informa a revista Popular Mechanics. O drone poderia voar muito mais próximo dos seus alvos que um avião tripulado, produzindo fotografias de alta resolução e registando sinais electromagnéticos mais fortes.

O Aquiline seria controlado por equipamentos de terra móveis em países fronteiriços com a União Soviética ou a China, como Taiwan, a Turquia ou a Noruega. Transmitiria os dados a um avião de reconhecimento U-2R, que se encontraria próximo.

Por que o projeto teria sido cancelado? Contudo, o projecto foi em algum momento cancelado, mas não está claro o porquê. Provavelmente, devido à sua complexidade técnica. “Teria sido um programa técnico muito complexo, com problema de sigilo, transmissão de dados e propulsão, tudo num dispositivo muito pequeno.

O uso da geração radio-térmica teria agregado um nível ainda maior de complexidade”, sugeriu a Popular Mechanics. Além do mais, o Aquiline também “dependia em grande parte de uma artimanha” e, se os soviéticos ou chineses descobrissem, os seus aviões de combate “poderiam derrubá-lo facilmente”, concluiu a revista. Deste modo, o Aquiline não passou de um projecto na comunidade de inteligência.

leave a reply