Governadora mobiliza meios humanos e técnicos para combater a Covid-19

A governadora provincial de Luanda, Joana Lina, defendeu a necessidade de se mobilizar recursos humanos e materiais, envolvendo os técnicos da saúde, para dar resposta à Covid-19, durante o prolongamento do Estado de Calamidade Pública

Joana Lina fez estas declarações no distrito urbano do Kalawenda, no município do Cazenga, num encontro presenciado por vice-governadores, directores provinciais e administradores municipais.

Segundo uma nota do Gabinete Provincial da Comunicação Social do Governo de Luanda, enviada aO PAÍS, a reunião teve, entre outros objectivos, tratar de questões ligadas à implementação do Decreto Presidencial, associada à aplicação e cumprimento das medidas decretadas ao nível da província de Luanda, com realce para os casos de quarentena e isolamento domiciliar.

 No que concerne à mobilização de recursos humanos, a governadora solicitou o envolvimento de técnicos da saúde, aqueles que também ainda não estão enquadrados no mercado de trabalho, para responder a demanda.

Com efeito, contará com outros meios, como ambulâncias, para fazer face à situação real que se prevê na província de Luanda quanto ao aumento significativo de casos até Setembro do ano em curso.

Da reunião, resultou a instalação do Centro Operacional de Luta e Prevenção contra a Covid-19 na Escola 1026, no Largo Irene Cohen, distrito urbano da Ingombota.

Na ocasião, o director provincial da Saúde, Mateus Gaspar, apresentou um plano de mobilização de pessoal para acompanhamento das quarentenas e isolamento domiciliar de pessoas infectadas que tem como centro do processo as famílias, com as quais se poderá contar para uma melhor gestão e controlo da situação.

De acordo com o referido plano, cada município vai criar um grupo de 450 técnicos, profissionais da saúde, no intuito de agir nos distritos, com foco direccionado para a mobilização das famílias.

O encontro, encabeçado pela governadora de Luanda, segundo ainda a nota de imprensa, assinada pelo seu director, Ernesto Gouveia, contou ainda com a participação e intervenção directa dos directores dos hospitais de Luanda.

leave a reply