Isolamento domiciliar começa hoje, depois de 37 novos casos e três mortes ontem

Três mortos, 37 novos casos de Covid-19, 20 dos quais em Luanda, quatro em Cabinda e seis no município do Soyo, província do Zaire, foram registados nas últimas 24 horas em Luanda. Os contágios foram por transmissão local. Por outro lado, os doentes assintomáticos começam a ser assistidos a partir de hoje em casa, segundo informou o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda

Três cidadãos angolanos, dois do sexo masculino, com 62 e 68 anos, e uma do sexo feminino (74 anos), perderam a vida em consequência da Covid-19 e co-morbilidades associadas à obesidade mórbida, diabetes, estilismo, doença cérebro vascular (DCV), doença renal e hipertensão.

A informação foi avançada ontem pelo secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, esclarecendo, igualmente, que nos 37 novos casos positivos registados, 20 pertencem a Luanda, respectivamente nos municípios de Belas, Talatona, Maianga e Ingombota.

Seis casos ocorreram no Soyo, província do Zaire, e os restantes quatro em Cabinda. As idades variam entre os 22 e 69 anos. Vinte e nove são do sexo masculino e 8 do feminino. Segundo Franco Mufinda, no habitual apontamento diário, nas últimas 24 horas, não houve recuperação de pacientes.

Com os novos dados, o país tem 1.852 casos positivos, com 86 óbitos, 584 pacientes recuperados e 1.182 activos. Três dos casos activos estão em estado crítico com ventilação mecânica invasiva, 26 em estado grave, 25 moderados, 35 leves e 1.093 assintomáticos.

Franco Mufinda disse que nas últimas 24 horas foram processadas 171 amostras no laboratório de biologia molecular por RT-PCR, das quais 37 com resultados positivos e 134 negativos.

Angola com cumulativo de 49 mil amostras processadas

No total, já foram processadas por RT-PCR 49.000 amostras, das quais 1.852 foram positivas e 47.148 negativas.

O governante explicou que no período em referência 254 pessoas obtiveram altas, respectivamente 226 na província de Luanda, oito no Huambo, sete no Uíge e Zaire, quatro no Bié, uma em Malanje e Namibe, respectivamente.

Por outro lado, Franco Mufinda recordou a necessidade de se observar oprocesso da quarentena domiciliar que começa hoje. Por isso, solicita que se redobre cada vez mais o sentido de responsabilidade.

O governante advertiu que só vai realizar o isolamento domiciliar quem tiver as condições mínimas criadas.

Mufinda explicou ainda que a Comissão Provincial de Luanda fez algumas considerações sobre o processo, sublinhando que só poderá ter sucesso se o munícipe ajudar esse trabalho que está a ser levado pelo Estado.

Passageiro do vôo humanitário do dia 31 de Julho testou positivo

 

Franco Mufinda referiu que um passageiro que chegou no dia 31 do mês passado testou positivo. O paciente, que regressou ao país vindo de Lisboa, teve que ser submetido às medidas de saúde pública que estão a ser tomadas com todos que regressam, sendo obrigatório o teste pré-embarque com a validade de 72 horas na base da biologia molecular RT-PCR.

Segundo o secretário de Estado para a Saúde Pública, após o cumprimento do tempo de quarentena institucional realizaram a testagem aos passageiros onde encontraram alguns casos reactivos.

 “Fizemos uma análise na base da biologia molecular e chegamos a evidenciar um caso positivo. Este dado já passamos numa comunicação anterior. Este caso positivo, neste momento, está em isolamento e seguimento”, disse.

 Por outro lado, Mufinda informou que algumas províncias reportaram actividades relacionadas à colheita e ao envio de amostras a Luanda e palestras realizadas ao nível das comunidades.

 O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu, nas últimas 24 horas, 77 chamadas, das quais uma denúncia e caso suspeito de Covid-19, duas denúncias de violação da cerca sanitária e 74 foram pedidos de informação sobre o vírus.

leave a reply