Mais 53 novos infectados de Covid-19, três óbitos e sete recuperados em 24 horas

O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, revelou ontem, em Luanda, que nas últimas 24 horas foram confirmados 53 novos casos de Covid-19, três óbitos, e sete recuperados. No total, Angola tem 1.815 infectados, registou 83 óbitos e 584 recuperados

Os três cidadãos angolanos que perderam a vida, ontem, em Luanda, em consequência da Covid- 19, tinham co-morbilidades associadas como a obesidade mórbida, hiperuricemia, e hipertensão. Trata-se de um do sexo masculino com 76 anos de idade e dois do sexo feminino, sendo uma com 54 e outra com 60 anos. O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, que falava durante a apresentação do balanço diário sobre a pandemia no país, no CIAM, esclareceu que os 53 novos casos positivos foram registados em Luanda, sendo as localidades mais afectadas Talatona, Viana, Kilamba Kiaxi, Rangel, Ingombotas e Maianga.

Disse que os novos pacientes têm idades compreendidas entre 23 e 71 anos. As mulheres constituem a maioria, com 38 casos, ao passo que os homens são 15. Ontem foi também anunciado a recuperação de mais sete pessoas. O país tem agora 1.815 casos infectados, dos quais 83 mortos, 584 recuperados e 1.148 casos activos, dos quais quatro estão em estado crítico com ventilação mecânica invasiva, 25 em estado grave, 22 moderados, 35 leves e 1.062 assintomáticos. Franco Mufinda disse que nas últimas 24 horas foram processadas 318 amostras no laboratório da biologia molecular por RT-PCR, das quais 53 foram positivas e 265 negativas.

No total, até ao momento foram processadas por RT-PCR 48.829 amostras, das quais 1.815 foram positivas e 47.014 negativas. Por outro lado, o governante explicou que no período em referência 79 pessoas receberam alta, sendo cinco na província de Luanda, 45 no Cunene, 26 em Cabinda e três no Uíge. O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu, nas últimas 24 horas, 65 chamadas, das quais duas denúncias de caso suspeito de Covid-19, três denúncias de violação de cerca sanitária e 60 foram pedido de informação sobre o vírus.

Doentes assintomáticos começam a ser assistidos amanhã em casa

Entretanto, Franco Mufinda recordou que a partir de amanhã, 15 de Agosto, inicia o processo da realização da quarentena e do isolamento ao domicílio, sublinhando que só serão submetidos a esta quarentena quem reunir as mínimas condições. O secretário de Estado para a Saúde Pública disse também que essas condições passam pela localização exacta e algum meio de comunicação. “Nós devemos dominar o sítio onde a pessoa vive, ou seja, o endereço domiciliar e um telefone para facilitar a comunicação”, frisou.

Serão criadas brigadas no seio da comunidade para ajudar as famílias

Mufinda contou que serão criadas brigadas no seio das comunidades e que poderá envolver os moradores, um membro da família, vizinho, para que a pessoa contaminada não saia de casa. Recordou ainda que, estando em isolamento, os demais membros da família também ficam condicionados. E quem não reunir as condições ficará sob responsabilidade do Estado. “Nós teremos os nossos centros de quarentena sempre funcionais para fazer o devido seguimento”, disse. O secretário de Estado advertiu que o contágio da Covid-19 acontece quando se tem muitas pessoas aglomeradas e a permanência por muito tempo em locais fechados propicia a exposição e o aumento de casos de Covid-19. O governante informou ainda que, nas últimas 24 horas, algumas províncias reportaram actividades atinentes como a formação, educação e comunicação no seio da comunidade e o envio de amostras para biologia molecular ao Instituto Nacional de Investigação em Saúde.

leave a reply