FAO apoia dez mil famílias em agro-negócio no Cuanza Sul

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) começa a implementar, a partir deste mês, na província do Cuanza Sul, um projecto de orientação ao agronegócio, com vista a beneficiar dez mil famílias camponesas na região em três anos.

As dez mil famílias constam de 350 escolas de campo controladas pelo Projecto de Desenvolvimento Agrícola Familiar e Comercialização SAMAP, distribuídas nos 12 municípios do Cuanza Sul.

Em declarações à imprensa, no final de um encontro entre o governador provincial, Job Capapinha e a representante da FAO em Angola, Gherde Barreto, esta adiantou que a sua organização vai formar e ensinar as famílias camponesas sobre como negociar os produtos do campo com as grandes superfícies comerciais. Informou que a FAO vai reforçar as competências técnicas, com a formação prática, objectivando aumentar a produção e comercialização.

Fez saber que a implementação de projectos agrícolas familiares procura assegurar um rendimento digno aos agricultores e providencia uma produção que sustenta as agro-indústrias emergentes, podendo retomar-se as exportações.

“É preciso valorizar a agricultura familiar, trazendo conhecimentos e experiências para superar os obstáculos e aumentar a sustentabilidade das práticas e arranjos da agricultura por contrato”, disse a representante da FAO.

Salientou que dados revelam que o fomento da agricultura por contrato pode facilitar a comercialização dos excedentes e incentivar o aumento da produção.

Segundo o director provincial do gabinete da Agricultura, Floresta e Pesca, Laurindo Chambula Ladeira, para a presente campanha agrícola 2020/2021, prevê-se uma colheita de dois milhões, 830 mil e 744 toneladas de produtos diversos.

leave a reply