USD 4,5 milhões de dólares para Escolas de Campo

Quarenta técnicos do Instituto de Desenvolvimento de Angola (IDA) da organização CODESPA e do ISP (Instituto Superior Politécnico do Cuanza-Sul), estão em actividade de capacitação sobre Escolas de Campo de Agricultores (ECAs) desde o início deste mês na província do Cuanza Sul

O curso tem a duração de quatro meses, decorre no âmbito da implementação do Projecto de Desenvolvimento da Agricultura Familiar e Comercialização (SAMAP).

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), junto com o Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) do Ministério da Agricultura e Pescas (MINAGRIP), está a empreender Escolas de Campo de Agricultores (ECAs) em cinco municípios da província do Cuanza-Sul, tendo concluído na Gabela, município de Amboim o segundo módulo do curso de Formadoras e Formadores Mestres (Master Trainers) de Escolas de Campo do Projecto SAMAP.

A representante da FAO em Angola, Gherda Barreto, que acompanhou o encerramento do segundo módulo da formação na Gabela, salientou que o “SAMAP aborda dois aspectos críticos para o desenvolvimento agrícola em Angola, sendo um deles a necessidade de aumentar a capacidade institucional por meio da capacitação, tanto ao nível nacional quanto nas áreas do projecto e a qualificação da produção agrícola e do acesso, e construção de mercado para os produtos da agricultura familiar”.

Gherda Barreto destacou a importância da implementação de projectos como o SAMAP que pretendem potenciar o “feito em Angola”, reforçando todos os âmbitos da comercialização, apostando na formação de jovens e mulheres das comunidades rurais.

 Por seu lado, os futuros Formadores Mestres, pela voz de Francisca Chitula, expressaram o seu compromisso em transmitir o aprendido na formação aos agricultores da província.

A delegação da FAO e da administração municipal tiveram a oportunidade de participar numa visita guiada pelos formandos ao campo de experimentação e práticas produtivas do projecto, na aldeia da Quipanda, na Gabela, município de Amboim.

O objectivo do Projecto SAMAP é aumentar a produtividade, produção e comercialização da agricultura familiar para culturas e criações seleccionadas nas áreas de abrangência do projecto, através da constituição e fortalecimento de 750 Escolas de Campos de Agricultoras e Agricultores (ECAs), nas províncias de Cuanza-Sul e Huíla, através do beneficio de 30 mil famílias rurais, busc4,5 milhões de dólares ando a actuar em factores que bloqueiam as cadeias de abastecimento e valor agrícola, como por exemplo a extensão, irrigação, melhoria da produtividade, agricultura sustentável e adaptação às mudanças climáticas, gestão póscolheita, agregação de valor e, sobretudo, os vínculos de mercado.

O Projecto SAMAP tem a duração de 3 anos e conta com um orçamento de 4,5 milhões de dólares, financiado pelo Fundo Internacional e Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e Governo de Angola, e com execução e apoio técnico do IDA e da FAO.

Sobre as Escolas de Campo de Agricultores (ECAs)

 As Escolas de Campo foram introduzidas em Angola em 2005 pela FAO, em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) do Ministério da Agricultura, e parceiros internacionais. A Escola de Campo é uma ferramenta de extensão para o desenvolvimento rural de Angola.

 É uma metodologia participativa de capacitação baseada nos princípios da educação de adultos. As ECAs são “escolas sem paredes” onde os agricultores e familiares aprendem fazendo, pela via da observação, análise, trocam experiências e tomam decisões para resolver os seus problemas individuais e da comunidade. As ECAs são um processo dinâmico de empoderamento dos agricultores familiares.

 A partir dos seus conhecimentos e experiências relacionadas com o maneio das culturas, dos animais, dos ecossistemas os camponeses aprendem através de técnicas experimentais e participativas a tomar decisões sobre o melhor uso dos recursos disponíveis.

A ECA é constituída por grupos de 30 camponeses de uma aldeia ou bairro, que se reúnem regularmente cada 7 ou 15 dias durante todo o ciclo de produção de uma cultura para experimentar juntos, com a ajuda de um facilitador, novas opções de produção.

leave a reply