Homicídio do DJ dos Run-DMC foi crime misterioso durante 18 anos

Dois homens foram acusados de envolvimento no assassinato do músico Jam Master Jay, DJ do grupo de hip hop Run-DMC, um caso sem solução há 18 anos

O Ministério Público de Brooklyn, em Nova Iorque, anunciou esta semana 10 acusações contra os suspeitos Ronald Washington, que já estava preso, e Karl Jordan Jr., detido no Domingo.

 As acusações estão ligadas ao que aconteceu a 30 de Outubro de 2002, quando o pioneiro do rap foi baleado na cabeça no seu estúdio em Queens. Jason Mizell – o nome verdadeiro de Jam Master Jay – tinha 37 anos e era pai de três filhos.

Jordan Jr., 36, declarou-se inocente do crime, esta Segundafeira, quando se apresentou ao juiz por vídeo-conferência. Washington, de 56 anos, deve comparecer perante um juiz numa outra data ainda não anunciada.

Ambos são acusados de homicídio, enquanto traficavam drogas e também homicídio com arma de fogo. Jordan é ainda acusado de vários crimes adicionais de distribuição de narcóticos. Se forem considerados culpados, os réus enfrentarão penas entre 20 anos de prisão e prisão perpétua ou pena de morte.

“Eles entraram e o mataram a sangue frio”, disse o procurador interino Seth DuCharme, ao anunciar as acusações. De acordo com os documentos judiciais, o motivo do assassinato está relacionado com a compra de cocaína por parte de Mizell, que seria distribuída no Estado do Maryland por um grupo que incluía Washington e Jordan. Um desentendimento levou Mizell a tirar Washington do negócio, o que, segundo os procuradores, levou ao crime.

O homicídio foi particularmente chocante devido à reputação dos Run-DMC, grupo de hip hop dos anos 1980 conhecido por sucessos como “Tricky”, que costumava denunciar a cultura violenta das gangues, que, no começo dos anos 1990, passou a ser associada ao rap.

 Ao longo dos anos, os investigadores exploraram diversos motivos possíveis para o homicídio, incluindo uma disputa com o rapper 50 Cent, que era protegido de Jam Master Jay, mas essa teoria foi abandonada mais tarde.

 O assassinato de Jam Master Jay aconteceu na esteira de uma série de execuções de rappers na década de 1990, incluindo as de estrelas como Tupac Shakur e The Notorious B.I.G.. Juntamente com LL Cool J e Public Enemy, os Run-DMC foram pioneiros no hip hop new school, um som caracterizado por elementos de rock, ostentação agressiva e comentários sócio-políticos.

 Antes de morrer, Mizell tornou-se muito influente em Nova Iorque, trabalhando com jovens aspirantes a rappers e numa academia de DJs, que ele mesmo fundou.

Jornal de Notícias

leave a reply