País conta com nova sonda em offshore

Mais uma sonda de perfuração em águas ultra profundas entrará em acção ainda este mês de Agosto

A TOTAL, a maior produtora de petróleo em Angola, activará a segunda sonda para levar a cabo os trabalhos de desenvolvimento de novos poços petrolíferos no Bloco 17, o bloco com a maior taxa de produção em Angola.

 Trata-se da Sonda MAERSK VOYAGER, da Empresa Maersk Drilling, que será activada depois de estar por vários meses ancorado na Baía de Luanda. De acordo com uma nota de imprensa da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG), a Maesk volta ao bloco 17 no dia 27 de Agosto de 2020.

 Sendo que chegou ao país para fazer dois poços exploratórios e rumaria para a vizinha Namíbia, mas viu agora os seus trabalhos a serem acrescidos e se manterá em Angola e a operar no bloco 17.

 Com a activação da Maersk Voyager Angola contará agora com duas sondas em operações de perfuração e desenvolvimento de novos poços petrolíferos, depois destes verem as suas actividades suspensas devido à crise mundial que o país enfrenta.

 A TOTAL é a pioneira em activar as sondas para trazer de volta essas operações. Depois de ter activado a Transocean Skyros, que está a operar no bloco 32, a empresa activou a Maersk Voyager para o Bloco 17 e posteriormente activará a West Gemini da Seadrill que também irá para o bloco 17.

O regresso da Mearsk Voyager às actividades petrolíferas aumenta a esperança do sector, pois já se estava a viver uma situação crítica por falta de operações, o que motivou vários despedimentos.

 A entrada de mais uma sonda em acção continua a acender a luz verde no fundo do túnel e faz crescer uma grande esperança para aqueles que trabalham e desejam trabalhar neste sector tão importante para a economia nacional.

O regresso das sondas será faseado, tendo em conta que, até Novembro de 2020, Angola poderá contar com quatro dispositivos activos a operar nas águas profundas nacionais.

 Espera-se que este número venha a duplicar-se no primeiro trimestre de 2021, o que gerará vários empregos e trará de volta vários jovens que viram as suas relações laborais canceladas devido à falta ou grande redução das operações.

leave a reply