Conselho de Estabilidade promove formação sobre literacia financeira

Conselho Nacional de Estabilidade Financeira vai capacitar técnicos do Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento da Educação (INI DE) para a inserção de conteúdos de literacia financeira no programa curricular nacional obrigatório

Um seminário sobre a inserção de conteúdos de Literacia Financeira no programa curricular nacional obrigatório acontece de 24 de Agosto a 18 de Setembro deste ano. A iniciativa decorre no âmbito do Programa de Adequação Curricular (PAC 2018-2026), sob coordenação dos membros do Conselho Nacional de Estabilidade Financeira (CNEF), nomeadamente o Banco Nacional de Angola (BNA), a Comissão do Mercado de Capitais (CMC), a Agência Angolana de Regulação e Supervisão de Seguros (ARSEG) e a Administração Geral Tributária (AGT).

A formação visa o desenvolvimento de competências dos técnicos do INIDE e autores de materiais curriculares sobre Educação Financeira e resulta na identificação dos conteúdos de Educação Financeira que serão integrados nos materiais curriculares do Iº ao IIIº ciclo de ensino. “Para todos aqueles que estiveram envolvidos, é imensamente gratificante, hoje, materializar uma ideia com mais de meia década e, com isso, ter dado, quiçá, o passo mais decisivo para o aumento do conhecimento e compreensão pelos angolanos, pequenos e grandes, dos mistérios do dinheiro, do saber que realmente enriquece”, afirma Luzolo de Carvalho, secretário executivo do CNEF.

O seminário será ministrado por representantes dos reguladores do Sistema Financeiro Angolano (SFA) e da AGT, e abordará temáticas transversais à banca, seguros, mercado de capitais e tributação. A inserção dos conteúdos de Literacia Financeira no programa curricular nacional obrigatório insere-se no Projecto de Desenvolvimento do Sistema Financeiro (PDSF), braço financeiro do Plano de Desenvolvimento Nacional 2018- 2022, como um dos pilares da Inclusão Financeira.

Sobre o PDSF

O Projecto de Desenvolvimento do Sistema Financeiro 2018-2022 (PDSF) estabelece um plano cronológico de acções a implementar pelos supervisores, que visam a promoção de um sistema financeiro mais resiliente. Neste âmbito, é da competência do Secretariado Executivo do Conselho Nacional de Estabilidade Financeira (CNEF) o acompanhamento destas acções, facilitando a introdução de reformas ao sistema financeiro angolano. O PDSF resultou do contributo directo de equipas do MINFIN, BNA, CMC, ARSEG, UIF, Secretariado Executivo do CNEF e do Banco Mundial.

leave a reply