Continua a luta de liderança na ASCOFA

Mesmo com a decisão do Tribunal Provincial de Luanda(TPL) que decididiu a favor de António Fernando Samora, em detrimento de Caetano Marcolino, as “águas continuam agitadas”.

Samora foi alvo, há um ano, de um processo de destituição do cargo por um grupo de associados da ASCOFA, liderado pelo coronel na reserva Caetano Marcolino, sob alegação de má gestão da instituição, desvio de fundos, cujas acusações foram anuladas pelo tribunal.

Depois de ter apresentado queixa ao tribunal, foi reconduzido ao cargo, conforme a sentença nº 415/19, processo nº 3240/2019-B, da 1ª Secção da Sala do Cível e Administrativo do Tribunal Provincial de Luanda, que repôs a legalidade.

Mesmo com a sentença do tribunal, Caetano Marcolino montou uma sede paralela e contígua às instalações da direcção nacional da ASCOFA, denunciou António Samora. Falando numa conferência de imprensa realizada em Luanda, contra Caetano Marcolino pendem ainda acusações de levar a cabo uma campanha contra si, bem como a afixação de fotografias em paredes dos mercados e árvores em algumas artérias da cidade de Luanda e de Caxito, capital do Bengo.

Com a suposta conivência de alguns companheiros seus, Marcolino é ainda acusado de forjar e emitir documentos falsos, fazendo-se passar como o presidente legítimo da ASCOFA em contravenção à sentença emitida pelo Tribunal Provincial de Luanda.

“ Esta é uma atitude clara para distrair e manipular a opinião pública”, disse, sublinhando que o propósito é o de destruir a associação para fins inconfessos.

António Samora diz que depois de ter ganho a causa no tribunal convidou todos os membros que contestavam a sua liderança, incluindo Caetano Marcolino, a trabalhar com ele, mas este recusou juntar-se à direcção legítima.

Acusações e contra acusações

Entretanto, o porta-voz da ASCOFA da direcção de Caetano Marcolino, Walter Cardoso, minimizou as acusações de Fernando Samora, informando que o presidente reconhecido é o coronel Marcolino Caetano, conforme alegam documentos reconhecidos pelas autoridades. “Temos aqui o Diário da República que atesta o senhor Caetano Marcolino como presidente da ASCOFA”, disse, desafiando Samora a apresentar documentação que lhe conferem a presidência da Associação de Apoio aos Combatentes das Ex- FAPLA. Disse que Samora está desesperado com o seu afastamento legal da ASCOFA, pelo que tem estado a levantar falsas acusações contra o novo líder desta associação.

leave a reply