Editora moçambicana Trinta Zero Nove na Feira do Livro de Frankfurt

A Trinta Zero Nove, de Sandra Tamele, participa na presente edição da Feira do Livro de Frankfurt. Este ano, a participação é online e, em 2021, será presencialmente, igualmente, com presença confirmada da editora moçambicana

Em dois anos de existência, a Trinta Zero Nove tem conseguido excelentes resultados no que à promoção internacional do seu trabalho diz respeito. Um mês depois de a editora ter selado um compromisso com o African Books Colective, o que a permite distribuir seus livros em qualquer país do mundo, chegou a vez da instituição literária conquistar Alemanha. Para o efeito, Sandra Tamele vai participar nesta edição da Feira do Livro de Frankfurt.

O programa que vai terminar com a realização da Feira entre 14 e 18 de Outubro arrancou mês passado, e, como a nova ordem mundial não permite que editores estrangeiros viagem para Alemanha, a participação, nesta fase, está a decorrer à distância, com gravações de uma série de vídeos e apresentações de trabalhos editoriais através da Internet. Quer isto dizer que a Feira do Livro de Frankfurt foi adaptada por causa dos impactos da COVID-19. Assim, os que se encontram no território alemão participam presencialmente e os que se encontram no estrangeiro recorrem a plataformas digitais.

As sessões desta edição da Feira do Livro de Frankfurt incluem formações sobre a aquisição de direitos do autor e gestão do catálogo editorial. O grande propósito, esclareceu Sandra Tamele, é promover a produção do livro para a criança. “Este ano a participação acontece a partir dos nossos escritórios, mas em Outubro de 2021, prevê-se que as sessões sejam presenciais, em 10 dias de feira. Nessa altura, teremos direito a um stand. Isso é muito importante, principalmente para uma editora pequenina como a nossa, porque os stands, geralmente, são adquiridos a um custo e, neste caso, a Feira vai-nos ceder gratuitamente”.

Durante a participação na Feira do Livro de Frankfurt, a Trinta Zero Nove espera adquirir direitos de obras para um mercado maior, uma vez que no evento participarão representantes de grandes editoras do mundo. E, em termos de impacto…

“se estar no African Books Colective abriu-nos portas, ir para Frankfurt vai nos dar mais maturidade, porque poderemos estar ombro a ombro com os maiores players do mundo editorial. Iremos dar mais visibilidade ao que estamos a fazer e adquirir títulos inéditos. Nós estamos a editar obras até cinco anos desde a publicação. Estando em Frankfurt, será possível conseguirmos direitos de obras mesmo antes de serem publicadas em qualquer país do mundo”.

leave a reply