Administração de Belas aplica mais de Kz de 150 milhões no Combate à Pobreza

A administradora municipal de Belas, Mariana Domingos Cunha, revelou, ontem, que, durante o primeiro semestre deste ano, aplicaram 159 milhões e 83 mil de Kwanzas, em diversos projectos de combate à pobreza

Mariana Cunha explicou tratar-se dos 150 milhões de Kwanzas que receberam este ano e os restantes 9 milhões e 83 mil Kwanzas lhes foram atribuídos o ano passado, no Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza (PIDLCP).

A governante prestou esta informação à imprensa, no âmbito da visita que a equipa da unidade técnica de monitorização do PIDLCP realizou ontem à sua área de jurisdição para aferir os resultados da sua implementação.

A administradora de Belas disse que estes valores foram alocados em projectos ligados à agricultura e pescas, cidadania, empoderamento da mulher, cuidados primários de saúde, desporto e cultura.

Disse que há outras acções em curso como a reabilitação de quatros centros de saúde no Bita Tanque, bairro Lukembo, Vila Verde e o Centro de Acção Integrado. Garantiu que depois de reabilitar as infra-estruturas serão apetrechadas, bem como algumas escolas do IIº Ciclo.

Explicou ainda que há outros projectos direccionados para os antigos combatentes. “É nossa missão e obrigação a integração dos ex-militares na sociedade. Muitos deles preferem a área de comércio a retalho e desenvolver a actividade de moto-táxi, sendo que, actualmente, já conseguimos enquadrar nove, com os seus próprios negócios”.

Anunciou que pretendem ainda reabilitar cinco lojas de registos existentes no município, construir um mercado e reorganizar as cooperativas.

Administrações Municipais recebem mensalmente 25 milhões

Na ocasião, Ricardo Daniel, chefe da missão, afirmou que os projectos devem ser implementado num curto espaço de tempo e trazer bons resultados para a população. Explicou que o PIDLCP é importante para o melhorar a vida nas comunidades, pelo que as administrações municipais recebem, mensalmente, 25 milhões para aplicar em várias acções sociais, designadamente agricultura, saúde, educação, entre outras.

Disse que as administrações devem implementar projectos que, em curto espaço de tempo, satisfaçam as necessidades das comunidades. Em contacto com a cooperativa de pescas do distrito do Morro dos Veados, constataram que a mesma trabalha com chatas rudimentares e motores que apresentam avarias constantes.

Os pescadores contaram aos visitantes que, para tentar minimizar a situação, receberam recentemente da administração municipal alguns meios, no âmbito do PIDLCP, que consideram insuficientes. No bairro Tanque Seco, a equipa da unidade técnica de monitorização constatou que uma das infra-estruturas que carece de mais investimento é o posto de saúde, construído com fundos do programa de combate à pobreza, mas falta apetrechamento.

Ricardo Daniel disse que quando a unidade sanitária for equipada ajudará na assistência das comunidades. “Nós queremos a melhoria das condições de vida das populações. Esta é nossa maior preocupação”, frisou.

Sublinhou que o Executivo tem outros programas para combater a pobreza e todos estão bem concebidos, mas a grande preocupação assenta na gestão dos projectos.

Espera-se por maior fiscalização da população

“Queremos técnicos que saibam gerir os projectos, que dialoguem com as entidades superiores em caso de dúvida e, sobretudo, trabalhem com as comunidades fazendo um levantamento verdadeiro das carteiras dos projectos, tendo em conta que se os projectos forem bem identificados, financiados e bem executados teremos bons resultados”.

Em declarações à imprensa no final da visita de constatação aos projectos em execução no Kilamba, Tanque Seco (distrito urbano da Vila Verde), Morro dos Veados e no distrito Urbano de Cabolombo, Ricardo Daniel disse ter constatado que existem alguns aspectos que carecem de serem melhorados, sobretudo na execução física e financeira dos projectos.

“É necessário que sejam claros na execução física e financeira das acções. A equipa financeira do município justificou que não tinha tais instruções”, frisou, sublinhando que orientaram que devem passar por ser fundamental.

O grupo técnico louvou as iniciativas de implementação do projecto de Formação do Género e Empoderamento da Mulher, no distrito urbano do Kilamba, a cozinha comunitária no distrito da Vila Verde e a loja dos registos distrito do Cabolombo.

leave a reply