Executivo agiliza políticas públicas adequadas para a reabertura do sistema de ensino, assegura ministra de Estado

Executivo agiliza políticas públicas adequadas para a reabertura do sistema de ensino, assegura ministra de Estado

A ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, anunciou, ontem, em Luanda, que o Executivo está a avaliar as políticas públicas mais seguras para a reabertura do sistema de educação no segmento público e privado.

Segundo Carolina Cerqueira, no âmbito das políticas públicas de prevenção e combate à Covid-19, o Executivo tem vindo a receber várias propostas dos mais variados parceiros sociais para que a efectiva reabertura do sistema nacional de ensino venha a acontecer sem pôr em risco a vida de todos os intervenientes do processo de ensino.

Porém, frisou, o que se tem estudado é a melhor forma de se avaliar as modalidades certas que possam garantir um regresso às aulas sem, no entanto, expor a saúde dos alunos em perigo.

A ministra de Estado para a Área Social fez saber ainda que o país tem conhecido, diariamente, um aumento de número de infecções que já ultrapassou a fasquia dos 2 mil casos. Em face disso, explicou, todas as políticas públicas de reabertura do sistema de ensino deve ter sempre como base a protecção da saúde dos cidadãos, sobretudo das crianças que são os grupos mais vulneráveis em função da falta de noção de perigo.

“Há necessidade de repor as crianças nas escolas, mas sem necessidade de atrofiar o futuro delas. Estamos conscientes que as crianças estão mais expostas e vulneráveis por, muitas delas, viverem em bairros periféricos onde, muitas vezes, não há água”, apontou.

Resultados em breve

A paralisação das aulas em todo o país aconteceu no início do mês de Março em função dos primeiros casos da pandemia da Covid-19, sem, no entanto, o estabelecimento de um horizonte temporal de reabertura ter sido definido.

Porém, com o somar dos casos de intenções, para já a ministra Carolina Cerqueira adiantou que há um grupo técnico a trabalhar num projecto executivo específico onde vai definir as melhores modalidades, alinhadas às estratégias mundiais, para que o regresso às aulas venha a ter mais vantagens do que desvantagens.

“O grupo de trabalho técnico está a fazer o levantamento técnico das vantagens e desvantagens. Estamos atentos aos apelos nacionais e internacionais. Estamos a fazer o trabalho de auscultação com todos os parceiros socias para não defraudarmos as expectativas das famílias”, assegurou.